Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

A LANÇA PARTIDA

""Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Vosso nome dai a glória!"

(Lema Templário)

 

Prezado (a) Visitante. Vamos agora levar ao seu conhecimento um espantoso caso, ocorrido em 2005, e uma notícia somente agora veiculada e vinda à tona. Um caso que diz respeito a um dos mais bem guardados segredos da História e da Religião, envolvendo MARIA MADALENA - o décimo-terceiro apóstolo de Jesus e também a SUA ESPOSA - a sua esposa muito amada, banida de todas as formas de conhecimento - e com a qual gerou uma descendência que se espalhou pelo mundo e até hoje se perpetua!

 

Uma ligação e uma descendência desde os velhos tempos do Novo Testamento de pleno conhecimento dos mais altos Iniciados, os quais nos legaram pistas muito valiosas nesse sentido. Um deles, Leonardo da Vinci, na sua magistral obra "A Última Ceia", claramente nos deu uma dessas pistas: - retratou UMA MULHER sentada em um lugar considerado muito especial na antigüidade, à direita de Jesus!....

 

.... Uma bela e indiscutível mulher, cuja imagem aqui vemos no seu detalhe ampliado.....

 

.... Porém, o gênio de Da Vinci foi ainda mais longe, onde nessa outra pintura retratando Maria Madalena, a mostrou com os seios nus, numa clara alusão à maternidade, além de retratar a ausência de menstruação, outro claro sinal de GRAVIDEZ, pelo sinal do pano vermelho na sua mão esquerda e o despojamento do tecido em que as mulheres usavam naqueles antigos tempos como absorvente do fluxo menstrual!

 

SIM, os Iniciados SABIAM! Nesse vitral da Catedral de Kilmore, Escócia, Jesus ampara Maria Madalena já apresentando uma barriga protuberante - em outras palavras GRÁVIDA!...

 

.... E logo abaixo, essas inscrição em Inglês arcaico é bem expressiva, relatando que Maria Madalena fora escolhida e que essa boa parte jamais poderia ser afastada dela!

 

Daí, surgiu o mito do SANTO GRAAL, inutilmente procurado desde as mais remotas eras, e tido como o cálice no qual o Mestre Jesus, durante a Última Ceia teria se servido do vinho - e também o cálice sagrado no qual o sangue Dele teria sido depositado após a crucificação. Aí reside a chave do grande mistério. O Santo Graal é simbólico. Ele representa O ÚTERO DE MARIA MADALENA, por assim dizer onde figurativamente o sangue, a DESCENDÊNCIA DE JESUS teria sido depositada e preservada no mundo!!!

 

Recentes documentos encontrados e originas da época, por assim dizer, "os Evangelhos verdadeiros e proibidos", relatam que após a crucificação de Jesus, Maria Madalena e alguns apóstolos mais fiéis a Jesus (nem todos eles eram) fugiram e aportaram em um barco ao Sul da França, exatamente onde hoje se situa a Igreja de SANTA MARIA DO MAR....

 

.... Também repleta de evidentes simbolismos na sua fachada - como, por exemplo, essa âncora com um coração - numa clara alusão à chegada de uma embarcação ao local.

 

Abrigada, então, por uma comunidade judaica local, Maria Madalena deu à luz a SARA, a filha do casal, hoje reverenciada pela grande sabedoria do Povo Cigano (que certamente também detém esse grande segredo) como SANTA SARA! (IMAGEM: © J. Le Montagner)

 

E através dos tempos, essa descendência como sempre em grande perigo, logo se espalhou pelo mundo, sempre sob a guarda e a proteção dos CAVALEIROS TEMPLÁRIOS - Os cavaleiros de Cristo, Os Guardiães do Santo Graal! Uma Organização que ainda hoje existe, mantendo a sua sagrada missão, porém sem jamais se revelar publicamente! Faz sentido. Pois, para certos setores que dominam a humanidade, a descendência de Jesus deve ser sufocada e eliminada, uma vez que a revelação desse tipo seria totalmente "indigesta", passível de fazer ruir todas as estruturas políticas, sociais e religiosas do planeta.

 

Além disso, O Priorado de Sião representa um grupo de variadas sociedades secretas, sendo ele mesmo uma sociedade secreta fundada em Jerusalém no ano de 1099 e que jurou proteger um segredo acerca do Santo Graal, o maior de todos os segredos - evidentemente a descendência humana de Jesus Cristo! Leonardo da Vinci, aliás, foi em certa época um Grão-Mestre dessa organização.

 

A descendência de Jesus, a partir da sua filha SARA, e desde a França, se espalhou pelo mundo, sendo a linhagem dos MEROVÍNGIOS um desses ramos...

 

.... Uma linhagem real estabelecida na Gália, que reinou sobre parte significativa da França, Alemanha, Suíça e Países Baixos, entre os séculos V e VI, também conhecida como "Os reis de cabelos longos" (em latim "Reges Criniti"), por não cortarem simbolicamente os cabelos - uma clara homenagem ao Antigo Ancestral. Relativamente a eles, criou-se a imagem de uma aura sagrada, como também notícias sobre a posse de dons de cura, algo que os tornaria próximos de uma idéia do caráter sagrado dessa linhagem.

 

.... E um dos outros ramos da família de Jesus (existem muitos outros ramos cujos membros sequer sabem disso) é representado pela linhagem dos SAINT CLAIR, ainda SAINTCLAIR ou SINCLAIR, que também se espalhou pelo mundo. Na imagem acima SAINTE CLAIRE, ou SANTA CLARA, que foi uma das representantes dessa família. Conhecida como a "dama pobre", Santa Clara nasceu em Assis (Itália), no ano de 1193, e seu nome vem de uma inspiração dada a sua fervorosa mãe, a qual lhe revelou que a filha haveria de iluminar o mundo com sua santidade. Algo que estava mesmo no seu DNA, na sua sagrada Linhagem! Pertencente a uma nobre família, destacou-se desde cedo pela sua caridade e respeito para com os pequenos. Por isso, ao se deparar com a pobreza evangélica vivida por Francisco de Assis apaixonou-se por esse estilo de vida. Em 1212, quando tinha apenas dezoito anos, a jovem abandonou o seu lar para seguir Jesus mais radicalmente. Para isso foi ao encontro de Francisco de Assis na Porciúncula e teve seus lindos cabelos cortados como sinal de entrega total a Cristo.

 

A tradicional família SAINT CLAIR foi a responsável pela edificação da Capela de Rosslyn, um dos mais simbólicos monumentos arquitetônicos da Escócia, repletos de mensagens Templárias e de inúmeros simbolismos ocultos, somente entendidos pelos Altos Iniciados. Foi erigida em 1446 por WILLIAM ST CLAIR, sendo considerada um dos locais mais misteriosos de toda a Europa, como também é conhecida como "A Capela do Graal".....

 

.... Onde, ali, por todas as partes, os Cavaleiros de Cristo, os Guardiães do Santo Graal, deixaram as suas indubitáveis marcas.....

 

.... Como, aliás, não poderia deixar de ser! Nessa capela o túmulo do seu fundador, William St Clair, tem uma inscrição que o identifica como CAVALEIRO TEMPLÁRIO!

 

A coisa vai, porém, muito mais longe - e chega também ao BRASIL! Essa é a Cidade de São Luiz, capital do Estado do Maranhão, o palco dessa inusitada ocorrência. Ali estava estabelecido GERALDO SANCLÉR, proprietário de uma pequena livraria, especializada na venda de livros didáticos, bíblias, dicionários e outros artigos populares. Geraldo, abraçava a religião Kardecista. Tudo transcorria normalmente até o dia que, aproveitando um final de semana, ele e a família foram visitar um sítio da família. Daí para frente a sua vida mudaria radicalmente, pois, vasculhando o porão da velha casa que fora propriedade do seu bisavô, deparou-se com um pequeno baú cuidadosamente escondido. E dentro dele, lá armazenado e esquecido há muitas gerações.....

 

 

.... Abrindo a já muito corroída fechadura, encontrou reproduções de pinturas sacras, uma pequena taça de estanho e um livro de anotações escrito a mão, em inglês medieval (imagens meramente ilustrativas, não são as originais). Intrigado, Geraldo levou as peças para análise em um antiquário na capital do Estado, o qual avaliou que as imagens e a taça, afirmando que estas não tinham qualquer valor comercial, ao contrário do LIVRO, o qual começava escrito em inglês medieval e terminava com anotações em inglês corrente datadas de 1892, que poderia ter um grande interesse histórico. Conduzindo a sua busca, Geraldo levou então a peça ao Museu do Carmo, e do qual, após decorridas duas semanas, recebeu um relatório surpreendente: - o livro registrava a crônica da família SAINT CLAIR! Afirmava ainda que esta constituía um dos ramos da descendência de MARIA MADALENA, além de revelar uma série de fatos sobre uma organização denominada PRIORADO DO SIÃO, da qual todos os SAINT CLAIRS eram considerados altos dignitários!!!....

 

.... E as últimas anotações desse precioso livro foram escritas justamente pelo seu bisavô, William SANTCLÉR, na verdade WILLIAM SAINT CLAIR, um cidadão escocês que veio ao Nordeste do Brasil supervisionar a construção de uma ferrovia no final do século XIX, e o qual, estranhamente, morreu de maneira prematura logo após o nascimento do seu primeiro filho! Talvez tenha sido justamente por isso, pelo fato de se sentir ameaçado e em perigo, que William cuidadosamente escondeu essas relíquias. Então, deduz-se que o sobrenome SANCLÉR era um engodo, um artifício montado em documentos, de modo a não atrair a atenção de certas forças muito perigosas contra a família - a família detentora da LINHAGEM DE JESUS!

 

Geraldo Sanclér foi adiante na sua busca pela verdade e pelo encontro das suas origens. Procurou Ordens Iniciáticas e Místicas, como, por exemplo, a Ordem Rosacruz, uma Loja da Maçonaria e até a OPUS DEI - Enquanto isso, os rumores sobre a inusitada descoberta corriam pela cidade. Todos queriam descobrir o grande segredo e a sua casa se tornou o palco de grandes romarias de curiosos que queriam ver e fotografar o livro, além de tocar o cálice sagrado - que na verdade era um instrumento meramente simbólico e um simples réplica.

 

A Prelatura da Santa Cruz e Opus Dei (em latim Obra de Deus) é uma instituição hierárquica da Igreja Católica, uma prelazia pessoal, composta por leigos, casados, solteiros e sacerdotes. Tem como finalidade participar da missão evangelizadora da Igreja. Concretamente, o Opus Dei procura difundir a vida cristã no mundo, no trabalho e na família, e a chamada universal à santidade e ao valor santificador do trabalho cotidiano. seus estatutos secretos, redigidos em 1950 e publicados em 1986 pelo jornal italiano "L´Expresso", a Organização determina que: - "Os membros numerários e supernumerários saibam que devem observar sempre um prudente silêncio sobre os nomes dos outros associados e que não deverão revelar nunca a ninguém que eles próprios pertencem à Opus Dei".

 

Na foto, Dom Javier Echevarría Rodriguez, prelado do Opus Dei, dirigente máximo daquela Organização quando participava no Vaticano de uma cermônia em homenagem ao fundador daquela Organização, criado em 1928 pelo Sacerdote espanhol Josemaría Escrivá, considerado Santo e que foi canonizado pelo Papa João Paulo II, hoje reunindo cerca 87 mil seguidores em todo o mundo, inclusive no Brasil - onde, aliás, esteve em 2010 sem dar entrevistas e sem participar de atos públicos, mas somente com finalidades que se restringiam ao interior da corrente conservadora da Igreja Católica. Esse atual prelado sucedeu em 1994 ao Monsenhor Álvaro del Portillo, que governou o Opus Dei depois do falecimento do fundador em 1975. Para designar tal Prelado convoca-se um congresso geral eletivo no Vaticano. E sua nomeação corresponde ao status de PAPA, e o cargo é vitalício. (FOTO: AP)

 

Imagens do Santo Jose Maria Escrivá, o sacerdote espanhol mais tarde canonizado e fundador da Opus Dei.

 

Todavia, em todo o mundo, a Opus Dei passou a receber grande dose de atenção dos meios de comunicação e do público em geral, devido à publicação em 2006 do livro "O Código Da Vinci", autoria de Dan Brown (no enredo do qual dois membros da prelazia, sendo um deles um fanático religioso desprovido de bom estado psicológico), usam de fins violentos para defenderem segredos da Igreja Católica. E segundo publicado na Revista Superinteressante, edição 258a, novembro de 2008, num artigo de Mariana Sgarioni e Mauricio Manuel, durante a sua história: - "A Opus Dei colecionou críticos. Alguns de seus detratores mais radicais chegam a chamá-lo de “máfia santa”. Outros o acusam de ser “uma Igreja dentro da Igreja”, com poderes excepcionais e muito dinheiro sendo colocado a serviço de um conservadorismo atroz. Em parte, essa fama se deve às estreitas relações que a organização cultivou com o regime fascista do ditador espanhol Francisco Franco, de 1939 a 1975. Josemaría Escrivá, o próprio, ouvia as confissões do “generalíssimo”, como Franco era conhecido, e muitos integrantes ou colaboradores do Opus Dei foram nomeados ministros de Estado enquanto durou a ditadura". Aliás, nesse mesmo artigo, a Opus Dei chega a ser chamada de "O Exército do Papa". Mas, até que ponto haveria alguma verdade nisso?

 

Não se sabe. Todavia, um conhecido nosso que por razões óbvias não identificaremos e chamaremos apenas de "x", nos assegurou que esteve certo dia no prédio da Arquidiocese do Rio de Janeiro, no bairro Glória, e desceu no elevador com um importante Cardeal estrangeiro, escoltado por dois homens usando ternos e com as insígnias da Opus Dei nas respectivas lapelas. E ainda, ambos usando coletes à prova de balas e das suas vestes sobressaíam uma "reconfortante manifestação de fé": - potentes pistolas aparentemente 9 milímetros! Todos embarcaram logo na saída em um luxuoso e caro automóvel Ford Fusion, evidentemente também blindado! Sutil mesmo. (IMAGEM meramente ilustrativa: cena do filme LEGION)

 

Voltemos, então, ao caso Geraldo Sanclér. Era noite de 21 de dezembro de 2005, quando um certo automóvel estacionou do lado de fora da sua casa! Três estranhos personagens bateram à porta da sua residência, demonstrando curiosidade em ver os tais achados. Dois deles tiveram permissão para entrar, ao passo que o terceiro - ESTRANGEIRO, o qual não falava o idioma português - ficara de vigília do lado de fora. E ao contrário dos três tradicionais "Homens de Preto" da Ufologia (ilustração), estes eram bem apessoados, trajavam ternos claros e traziam nos peitos broches com a insígnia de uma cruz vermelha, a qual ela não soube exatamente precisar qual seria! Geraldo foi, então, chamado a um outro aposento, para conversar em particular com os dois visitantes. Sua esposa, Ana Flávia, ficou à parte dessa conversa, porém relatou que algum tempo depois ele saiu muito tenso, e não sabe exatamente o que os dois homens conversaram com seu marido em particular. Porém, relatou que ele saiu de seu escritório "muito alterado", trazendo as relíquias em uma caixa dourada, sempre em companhia dos tais sujeitos, os quais ela descreveu como “OS DOIS PADRES". Estranhamente, Geraldo disse que deveria acompanhá-los para "participar de uma cerimônia", devendo retornar ao amanhecer. O que jamais aconteceu até hoje. Pois, desde 2005 essa foi a última vez em que Ana Flávia viu o seu marido!!!

 

No dia seguinte, porém, Ana Flávia e recebeu um estranho telefonema de Geraldo, o qual contou estar "se sentindo confuso e atordoado", mas que “eles haviam lhe dado permissão para um telefonema”. Geraldo informou estar no aeroporto de Imperatriz (foto), ainda no Maranhão, e que faria uma viagem - sem contudo designar o destino dessa viagem. Falou ainda que ela não deveria se preocupar, pois "estava tudo bem". A partir daí, nunca mais houve um contato direto! Ana Flávia recebe periodicamente cartas impressas EM COMPUTADOR E SEM ASSINATURAS DE SEU MARIDO, sempre acompanhadas de altas somas em dinheiro, dando instruções sobre a manutenção da livraria da família, afirmando "estar tudo bem", e repetidamente insistindo em NÃO AVISAR ÀS AUTORIDADES. Claro que nessas bizarras cartas, Geraldo (ou quem se faz passar por ele) jamais fornece um endereço para respostas, porém afirma que a família não deve se preocupar "pois está sendo bem guardada", e que informações sobre todos os eventos familiares estariam sendo diariamente sendo relatadas a ele. Mas, seria isso mesmo? Em outras palavras, o nome disso é pura e simplesmente: SEQÜESTRO - um seqüestro sem deixar pistas, muito bem produzido, em que concretamente não se pode acusar ninguém!

 

Acredite, então, Prezado (a) Visitante, quando sempre afirmamos que a História é cíclica e, por conseguinte, sempre se repete - mudam apenas os cenários, mas os personagens PODEM SER OS MESMOS. E tanto ontem, como hoje, falar e proteger a verdade pode ser tão perigoso de pronunciar quanto o foi outrora. Existem forças terríveis, muito poderosas - por vezes perigosas - sempre atentas no sentido de bloquear o conhecimento e impedir a sua ampla divulgação. Uma vez que existem, de fato, verdades tão avassaladoras e ao mesmo tempo tão dramáticas que seriam capazes de fazer ruir de um só golpe todos os combalidos alicerces sobre os quais se baseiam a nossa civilização e as suas mais dogmáticas crenças. Assim, sejam nos meios científicos e acadêmicos, nos subsolos dos Governos e dos desgovernos, nas Religiões e nas crenças que se digladiam há mais de dois mil anos, as infames fogueiras da Inquisição ainda ardem - porém, de forma um tanto ou quanto mais velada e todavia muito mais sutil do que antes! A Sagrada Lança dos Cavaleiros do Templo, os guardiães dos segredos daquele que foi O Maior de Todos os Mestres, pode, aqui ou acolá, por vezes ser partida. Mas, se as forças das trevas conseguem matar um corpo, jamais consguirão apagar uma sagrada Chama - jamais conseguirão extinguir a força suprema e maravilhosa que eternamente reside em uma ALMA!

 

"Os Templários, cavalgando com a sua Cruz Vermelha, foram os guardiães do segredo da Rosa no Interior do Cálice"

(Andrew Sinclair)

 

 

Agradecemos aos nossos estimados visitantes Adílio Jorge Marques e "x" pela valiosas colaborações prestadas para a elaboração desta página

 

Próxima Página

Página Anterior

Heretic