Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

ATRAVÉS DA TERCEIRA JANELA

"Vivemos em uma prisão: através da primeira janela, olha-se. Através da segunda janela, escuta-se. Pela terceira janela entra o desconhecido"

(Jacques Bergier)

 

 

Mais três curiosas "anomalias" na superfície marciana. Na verdade seriam naves alienígenas acidentadas!

 

E aqui temos outras intrigantes surpresas marcianas: à esquerda, um estrutura retangular surge abaixo das nuvens e, na outra foto, ruínas que decididamente não são obras da erosão. E que parecem ter sido partes de uma antiga cidade!!!

 

E também no seu misterioso satélite, Phobos, algo bastante estranho e que sugere outra imensa nave alienígena acidentada!

 

Porém, nos demais corpos celestes do nosso sistema planetário nem todas essas naves estão inativas. Nesta foto que retrata a atividade da Missão Appolo-15, na Lua, o astronauta teve que abandonar às pressas o seu trabalho....

 

..... uma vez que um imenso OVNI despontava por trás da colina! Obviamente o restante dessa seqüência fotográfica deve ter sido confiscado, rotulado como "Top Secret" e por conseguinte jamais divulgado.

 

E essas naves desconhecidas há muito tempo circulam até mesmo pela nossa atmosfera! Em 1954, no litoral de Ubatuba, Estado de São Paulo, Brasil, toda a população viu quando um chamado Disco Voador, ou OVNI, se aproximou em estupenda velocidade e, aparentemente tripulado, realizou uma manobra crítica de modo a evitar a colisão com o mar. Elevando-se abruptamente, explodiu a uma grande altitude em miríades de multicoloridos fragmentos, os quais foram lançados a grandes distâncias! Na foto, alguns desses fragmentos que foram examinados pelo cientista Dr. Olavo Fontes e se revelaram constituídos de um material metálico desconhecido na Terra, contendo ainda na sua composição magnésio puríssimo a uma concentração de 99 por cento. O Dr. Olavo, talvez pelo fato de ter manipulado tais fragmentos sem a devida precaução, morreu vitimado pelo câncer pouco tempo depois. Não se sabe o atual paradeiro desses destroços.

 

E mais recentemente, 1980 em Colorado Springs, EUA, Robert White e um amigo seguiam na madrugada por uma rodovia federal quando um imenso OVNI manobrou no céu abruptamente, bem à frente do automóvel em que viajavam. O estranho objeto voador acoplou-se a um outro de menores dimensões, tendo expelido este estranho artefato antes de partir em estupenda velocidade rumo ao espaço. Os cientistas do Laboratório de Los Alamos ao examinarem tal sensacional achado declararam sua origem extraterrestre, mas posteriormente (e talvez devidamente pressionados) negaram ter declarado isso! O artefato, classificado como "Objeto Desconhecido", foi igualmente examinado pelo National Institute for Discovery Science e também pela NASA, que entretando não divulgaram as suas conclusões. Sabe-se apenas que, além de outros elementos desconhecidos, sua composição apresentava traços de Europium, Estrôncio e Vanadium!

 

Este é Daniel Fry, na época técnico em foguetes do Governo Americano e lotado na Base aérea de White Sands, Novo México. Precisamente no dia 4 de julho de 1950 ao realizar uma inspeção noturna rotineira foi surpreendido pela acintosa descida de um clássico Disco Voador nas dependências mais afastadas da base. Ao se aproximar do aparelho, com cerca de 15 metros de diâmetro e segundo suas palavras "cuja superfície muito lisa parecia uma pérola ensaboada", ouviu uma estranha "voz" que penetrava na sua mente e lhe fez esta surpreendente revelação que bem poderia ser uma das mais importantes chaves para a compreensão do espinhoso problema dos OVNI:

 

 

"A gravidade a que estamos acostumados é um pouco mais do que a metade da que existe sobre a Terra. Esta é a principal razão da nosssa demora em fazermos maiores contatos com vocês e nos tornarmos seres terrestres. Se chegássemos agora e deixássemos a proteção das nossas naves, a grande força da gravidade terrestre causaria sérios distúrbios em nossos órgãos e em poucos dias poderíamos morrer...... Nas nossas naves podemos controlar a força da gravidade para o grau a que estamos acostumados. E, aumentando-a pouco a pouco, estamos tentando adaptar nossos corpos para condições de vida iguais às de vocês. Quando estivermos prontos, teremos esperanças de que os membros da sua raça possuam mentalidades suficientemente largas para nos ajudar a eliminar a grande distência que há entre a nossa cultura e a de vocês. Mas, não usaremos a força para impor a nosa presença, nem a nosa cultura. Só desceremos em massa para o seu planeta quando tivermos bastantes indícios de que seremos bem recebidos. Nós temos aprendido muito acerca da geografia da Terra e das línguas aí faladas. Quanto à sua História, não tanto, porque os homens não pensam muito em termos de passado. Conhecemos mais a história das suas civilizações originais. Muito mais do que vocês. Os nosso ancestrais vieram originalmente da Terra. Eles construíram um grande império e desenvolveram uma poderosa ciência no continente que vocês denominam vagamente de Lemúria . Ao mesmo tempo, havia um outro império no Continente da Atlântida. Eles eram rivais em ciências. Amigos, a princípio, tornaram-se adversários com o correr dos anos. Em alguns séculos, ultrapassaram o ponto de desenvolvimento científico em que vocês se acham agora. Aprenderam até a inverter inteiramente a massa em torno do eixo de energia. Era inevitável que as duas nações chegassem a se destruir, como hoje as maiores potências terrestres estão se preparando para fazer..."

 

Faz sentido! E agora podemos compreender inteiramente as enigmáticas palavras do notável cientista Albert Einstein, ao proferir essa estranha sentença: "Os Discos Voadores existem. Eles são tripulados por uma raça que deixou a Terra há 20 mil anos e retornam às origens". Partindo de quem partiu e ainda mais sabendo-se que esses brilhante cientista esteve realmente envolvido em projetos secretos do Governo Americano, inclusive no que tange aos mistérios dos UFOs, talvez aí esteja uma outra importantíssima chave para a solução desse atordoante enigma!

 

Próxima Página

Página Anterior

Stalker (Lee Jackson)