Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

RESSONÂNCIA ENTRÓPICA: NAS AREIAS DO TEMPO

"Porque a Natureza se resguarda em enigmas para proteger seus próprios desbravadores, eventualmente. E se revela para abrigá-los em seu ventre, definitivamente"

(Carlos Morandi - O Monte Messem)

 

Como se pode negar aquilo que não pode ser negado? Essa sentença plenamente se aplica à hipótese cada vez mais consistente de que civilizações desconhecidas e muito evoluídas nos precederam aqui na Terra! Voltemos ao Rio de Janeiro para obter apenas um expressivo exemplo. Este é o famoso morro do Pão de Açúcar, situado na Baía de Guanabara, e essa foto foi tomada por um turista, cidadão inglês e amigo nosso, quando por ocasião da sua visita à cidade. Ela nos mostra claramente o chamado "Rosto do faraó", esculpido bem no topo da montanha....

 

.... Aqui visto em uma maior aproximação do detalhe. Todavia, algo nos surpreendeu nessa imagem: - repare que, bem ao lado dele, existe a escultura de um outro rosto!....

 

Comprove no negativo, na extremidade esquerda do topo!...

 

.... E observe-o melhor ainda nesse quadro em destaque! Para vê-lo com mais exatidão, fixe o olhar e comece pelos olhos!

 

Seria mera coincidência, uma mera curiosidade no relevo montanhoso? NÃO, decididamente NÃO! Uma vez que em todo o liso paredão da montanha - quase um ângulo de 90 graus e a 395 metros de altitude - existe a clara escultura de um ÍBIS - um colossal pássaro que, de acordo com a elevação do Sol, torna-se cada vez mais nítido! (FOTO: ptolhares.com)

 

Nessa outra magistral foto, a gigantesca escultura pode ser melhor ainda visualizada.... (FOTO: Rick Ipanema/friends)

 

.... Assim como no seu correspondente negativo! Chocante, não?

 

Sim, e apesar das negativas oficiais que pretendem ver naquilo "um mero trabalho erosivo", muita gente já se apercebeu disso! Veja, por exemplo, outra magistral foto tomada numa rara ocasião, na qual podemos ver a comparação que o seu autor fez entre uma garça tranqüilamente pousada nas folhagens, e aquilo que está postado na montanha do Pão de Açúcar! (FOTO: © jimsky)

 

Há um elevado simbolismo nisso, e um simbolismo que forçosamente nos remeterá ao Antigo Egito - ou melhor dizendo, a um deus em particular do seu panteão! A ÍBIS era o símbolo do Deus TOTH, um ser celestial que trouxe à Terra os fundamentos da Ciência e da sabedoria!

 

Não se pode dizer que tais esculturas sejam monumentos deixados pelos egípcios que teriam estado há milênio no antigo Território Brasileiro. Aliás, tal hipótese, isto é, a presença dos egípcios no antigo Brasil, não pode ser totalmente excluída. Apenas ressaltamos que eles não esculpiam montanhas inteiras (assim como existem monumentos espalhados por toda a cidade do Rio de Janeiro, como também por vários outros Estados Brasileiros) - o que, aliás, teria demandado uma avançada tecnologia, a qual teoricamente eles não dispunham.

 

Aquele povo era composto por uma estirpe de hábeis navegadores, e essa navegação não estava restrita às águas do Rio Nilo - muito pelo contrário, atingia os oceanos e isso desde os primórdios das suas Dinastias! As suas potentes embarcações de longo curso superavam as demais de toda a antigüidade conhecida, uma vez que, assim como as embarcações fenícias, eram elaboradas no resistente cedro do Líbano! Note-se, também - , na parte inferior desse relevo - a representação de animais marinhos somente presentes em alto mar. Assim sendo, existe até hoje um grande mistério na História Egípcia:

 

Estamos nos referindo à misteriosa Terra de PUNT, celebrada em vários murais, e na qual aquele povo realizava expedições no sentido de trazer madeiras raras, animais exóticos, ouro, especiarias e outros diversos suprimentos. Alguns especialistas afirmam que PUNT teria estado situada na antiga Etiópia, porém há muitas controvérsias quanto a isso.

 

Pois, os egípcios podiam passar para Oeste, precisamente para as águas do OCEANO ATLÂNTICO, através de grande canal artificial por eles construído, denominado Uadj-Tumilat, o qual ligava o Nilo ao Mar Vermelho e daí com acesso direto ao Mar Mediterrâneo!

 

De Punt, aliás, vinha um corante vermelho muito utilizado nas vestes dos egípcios. A arvore do "Pau Brasil" (caesialpina echinata), que somente existia aqui no Território Brasileiro, era notável justamente por essa característica - isto é, pelo fato de de justamente dela poder ser extraído o tal corante púrpura! Portanto, a hipótese de Punt ter sido situada na América do Sul, e precisamente no antigo Território Brasileiro, nada tem de fantasiosa.

 

Porém, as expedições egípcias para PUNT não tinham um caráter meramente comercial ou exploratório, mas, sim, de REVERÊNCIA. Punt, para eles, era conhecida como "A Terra dos Deuses", isto é, situada para o Oeste do Egito, também conhecido como "A Terra dos Mortos" - precisamente o Ocidente, onde se situara a perdida ATLÂNTIDA e algumas das suas mais afastadas colônias - isto é, colônias estabelecidas em outras terras - como, por exemplo, nas AMÉRICAS! Na verdade, eles vinham em peregrinação reverenciar as obras e os "sinais de presença", deixados pelos seus preceptores, os Antigos Deuses nessas terras distantes - obras elaborados em tempos tão recuados que a sua própria civilização sequer existia! Aliás, o Egito e a sua civilização fora, não somente uma afastada colônia atlante, como, também, a herdeira em linha direta daquela extinta cultura perdida.

 

E os murais egípcios são bastante expressivos nesse particular. No Templo de Deir El Bahri, por exemplo, construído durante reinado de Hatshepsut, existem inúmeras referências às expedições enviadas à Terra de Punt, provando que o caráter principal dessas expedições era religioso - notadamente o de - em reverência - fazer simbólicas oferendas aos Antigos Deuses!

 

A cidade do Rio de Janeiro é litorânea e está situada a sudeste do Território Brasileiro, por sinal repleta de curiosos e muito intrigantes monumentos rochosos - esculpidos em MONTANHAS INTEIRAS! Ela possui enseadas propícias às navegações, e assim NADA impede que uma avançada civilização do passado tenha estado por lá, deixando os seus monumentos - como, por exemplo, ESTE que você vê acima....(FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... O qual, através de uma maior aproximação da imagem do satélite, nos revela uma face ostentando um toucado tipicamente egípcio - ou, melhor dizendo, PROTO-EGÍPCIO, isto é, que antedatou em muito anterior à Civilização Egípcia que tradicionalmente conhecemos!.... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... Comprove no negativo. Apesar de já bastante desgastado pela passagem do tempo e por força das erosões, a imagem é nítida - absolutamente surpreendente nos seus espantosos detalhes! Note-se o toucado, por exemplo. E que fique bem claro. como já dissemos, que os egípcios não possuíam tecnologias para esculpir montanhas inteiras, ainda mais para elaborar monumentos que somente poderiam ser discerníveis a partir do céu - para serem vistos somente do espaço! Ou seja, em outras palavas, a civilização que fez isso podia voar!....

 

.... Vamos, agora, aproximar ainda mais a imagem do satélite e vasculhar aquele estranha face voltada para o céu, no interior da qual, e fazendo parte daquele complexo montanhoso com 847 metros de altitude, iremos encontrar isso.... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

..... Que vem a ser ISSO : - o colossal rosto de granito postado no topo da misteriosa Pedra da Gávea, repleto de inscrições desconhecidas talhadas na rocha - erosão? Pois sim!

 

Desde tempos remotos e esquecidos, as marcas de uma prodigiosa civilização espalham-se pelas Américas. Até mesmo onde hoje as densas selvas encobrem tudo, o desmatamento revela coisas surpreendentes - tais como essa profusão de geoglifos encontrados na localidade de Boca do Acre, no Estado do Amazonas. Esses estranhos sinais e monumentos, representados por profundos sulcos que formam círculos, quadrados e linhas, e que chegam a atingir uma extensão de mais de um quilômetro de um extremo ao outro, foram descobertos graças à moderna tecnologia do satélites e estão sendo objeto de estudos pelo renomado Arqueólogo e Pesquisador da Universidade Federal do Acre, Alceu Ranzi. (FOTO: Diego Gurgel/Projeto Geoglifos)

 

Também no extremo do Continente da América do Sul, em uma região isolada e já fora do Território Brasileiro, iremos encontrar esses intrigantes sinais voltados para o espaço!.... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... Aqui vistos em negativo e no detalhe ampliado. Parecem se tratar de caracteres alfabéticos, aliás muito semelhantes àqueles encontrados nas cintas de inscrições da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro. Mas pertencentes a QUAL alfabeto? As três Américas (Norte, Sul e Central) eram rotas naturais e lógicas de exploração e colonização para uma avançada civilização - como, por exemplo, a Atlante, estabelecida sobre as águas do Atlântico Norte há muitos milênios atrás. Porém, oficialmente negam a sua existência - setores conservadores a encaram como "uma simples lenda". Mas, seria mesmo isso, meramente uma lenda?

 

NÃO! O que você acabou de ler até aqui, foi apenas e tão-somente um preâmbulo para que tome conhecimento dessa sensacional notícia, divulgada em dezembro de 2009, dando conta de uma sensacional descoberta arqueológica: (IMAGEM: msnbc.com)

 

"PESQUISADORES AFIRMAM TER DESCOBERTO UMA ANTIGA CIDADE SUBMERSA"! - Precisamente localizada nas profundezas do Atlântico, no Caribe, pesquisadores acreditam ter encontrado os vestígios da lendária ATLÂNTIDA! (IMAGEM: msnbc.com)

 

Situadas em uma vasta extensão, essas colossais ruínas são representadas por templos, enormes pirâmides, além de muitas outras estruturas! (IMAGEM: msnbc.com)

 

São ruínas tão antigas, que os atônitos pesquisadores acreditam anteceder em muito às próprias pirâmides do Egito e, portanto, pertencentes a uma perdida civilização - infinitamente mais antiga do que aquela! (IMAGEM: msnbc.com)

 

Apenas mais uma, dentre tantas outras evidências, de que antigas, desconhecidas e muito evoluídas civilizações nos antecederam, espalhando-se pela face da Terra! (IMAGEM: msnbc.com)

 

Os arquéologos responsáveis por essa sensacional descoberta, além de não desejarem ser identificados, estão tentando angariar fundos para uma prospecção mais detalhada do local onde jazem essas ruínas, localização a qual eles também se recusam a revelar por motivos bastante óbvios: (IMAGEM: msnbc.com)

 

Já que a preocupação desses descobridores faz muito sentido, uma vez que há alguns anos atrás, outros pesquisadores da ADC descobriram nas proximidade de Cuba uma profusão de ruínas semelhantes, exploradas e mapeadas através de inúmeras imagens obtidas pelos seus potentes sonares. Inexplicavemente, porém, nada mais se soube quanto a isso, caindo tudo no mais total e absoluto silêncio. É notória a existência de muitos setores ortodoxos e tradicionalistas, os quais se recusam a enxergar o óbvio, além de bloquearem a continuidade dessas pesquisas, como também impedirem a divulgação desses conhecimentos - um conhecimento novo, diferente e surpreendente - contrário a todos os tratados convencionais - e sobretudo para eles extremamente "embaraçosos" e incômodos. (IMAGEM: ADC)

 

De acordo com as velhas Tradições, esse era o formato estrutural do perdido Continente Atlante, submerso há cerca de 12.500 anos e situado em meio ás águas do Oceano Atlântico. Tratava-se de uma área central, rodeada por anéis concêntricos de outras edificações, as quais se estendiam a perder de vista abrangendo uma vasta área do mar - assim sendo, muito provavelmente tendo atingindo a região do Caribe, América Central, onde tais ruínas foram detectadas. (IMAGEM: msnbc.com)

 

Na verdade, supõe-se que os domínios desse perdido continente estender-se-iam por uma distância muito maior, quase atingindo a Leste a costa africana, precisamente na região dos Açores - exatamente onde as imagens do Google Earth recentemente detectaram algo muito estranho nessa região assinalada pelo círculo vermelho.... (IMAGEM: Daily Mail.uk)

 

.... Exatamente esses padrões geométricos que sugerem ruínas submersas a uma grande profundidade - mas, que alguns especialistas alegaram se tratar de "marcas efetuadas por sonares de mapeamento submarino" (?). Você concordaria com isso? Nem nós!

 

Pois, e no que toca aos vestígios de civilizações perdidas, não somente na região do Atlântico, como também em outras áreas mais distantes e igualmente nas profundezas dos mares, eles são encontrados! Um dos nossos estimados visitantes, que não deseja ser identificado, e o qual chamaremos de "x", vasculhando as imagens do Google Earth, encontrou algo verdadeiramente surpreendente, por sua vez na Papua, Nova Guiné, área banhada pelo Oceano Pacífico - onde as tradições dizem ter se situado um outro perdido continente: a Lemúria! O que exatamente nosso visitante teria encontrado por lá?..... (IMAGEM: © TerraMetrics/ Data SIO, NOAA, U.S. Navy, NGA, GEBCO/ Google)

 

Exatamente ISSO, uma curiosa linha submersa com 110 quilômetros de extensão, e que decididamente não faz parte do restante do relevo submarino presente nessa região!.... (IMAGEM: © Google/Europa Technologies/Tele Atlas/Map data/AND)

 

.... Uma curiosa linha, aqui vista no seu negativo. Realmente muito estranho? Sim, pois claramente sugere a existência de antigas ruínas submersas!....

 

..... Os novos e avançados recursos do excelente Google Earth permitem obter uma visão planificada do fundo dos oceanos. E usando desses recursos, o nosso Visitante encontrou exatamente ISSO!.... (IMAGEM: © Data SIO, NOAA, U.S. Navy, NGA, GEBCO/ Europa Technologies/ Tele Atlas/ Map data/ AND/Google)

 

..... Aqui, numa visão em negativo. Dificilmente poderiam se tratar de formações naturais presentes no relevo submarino - ao contrário, sugerindo uma colossal linha de formações piramidais submersas!

 

Também no Saara Central, num deserto inóspito, as imagens por satélites revelam algo que poderia se tratar de colossais ruínas há milênios soterradas pelas implacáveis areias do tempo - talvez as fundações de uma grande cidade arrasada por uma força descomunal! Claro que isso chama a atenção. Os quadros em realce foram feitos pela equipe do satélite. Coisas do passado ressurgem de maneira célere, pois tudo isso que está acontecendo faz muito sentido! As Leis da Biofísica e da Bioquímica estipulam que TUDO sempre atinge um ponto de saturação inevitável. (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

E isso pode realmente acontecer com a nossa civilização se não cessarem as guerras, a poluição desenfreada, a degradação do meio ambiente, a extinção dos recursos naturais - e assim por diante. Todo o nosso progresso, todo o nosso orgulho tecnológico, poderão um dia soçobrar nas águas dos oceanos, nas convulsões da Natureza, sem que nenhuma lembrança venha a restar de nós! E no futuro, se é que haverá futuro, quem ousaria reverenciar a triste memória dessa nossa "assim chamada civilização"? (IMAGEM: Cena final do filme "O Planeta dos Macacos")

 

Ressonância Entrópica, aquilo que aumenta em todos os processos irreversíveis e fica constante nos processos reversíveis! Por conseguinte, já não dá para se esconder mais nada! Algo poderosamente irreversível, que ressurge do nosso mais remoto e desconhecido passado, diante dos abençoados olhos daqueles que conseguem ver, e dos abençoados ouvidos daqueles que conseguem escutar! Sim, pois já ressoa no tempo algo poderosamente irreversível, revelando uma grande verdade: - A Natureza se resguarda em enigmas para proteger seus próprios desbravadores, eventualmente. E se revela para abrigá-los em seu ventre, definitivamente! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Areias do Tempo, lágrimas pungentes! Nesses momentos cruciais da trajetória humana, nesses tempos difíceis que ora atravessamos, a Natureza, tal como uma grave advertência aos seus filhos, já começa a revelar os seus muito bem guardados segredos - mistérios esses que dormiram seu longo sono por durante milênios sem conta, aguardando apenas e tão-somente o momento apropriado de serem devidamente revelados - de se tornarem inteiramente desvelados aos olhos de uma humanidade na sua grande maioria descrente, cética, materialista! Os tempos são chegados. Será preciso, pois, com a necessária humildade, reconhecer que toda a glória é vã, todas as moradas temporais são efêmeras - sempre se desvanecem no implacáveis corredores do tempo. Uma vez que a grande lição, uma outra grande e suprema verdade, já está sendo ensinada: - aqueles que renegam o seu próprio passado, inevitavelmente correrão o risco de revivê-lo!

 

Agradecemos aos nossos estimados visitantes Carlos Morandi, Elsa Esteves (Portugal), Marcelo Silva, Patricia Khandik, Valéria Macedo e "x", pelas valiosa colaborações prestadas para a elaboração desta página

 

Próxima Página

Página Anterior

The Pit - DOOM2 music