Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

A DEUSA QUE GOSTA DO SILÊNCIO

"Aqueles que anseiam pela liberdade devem se tornar em nevoeiro"

(Khalil Gibran - O Jardim do Profeta)

 

Sagrado e imorredouro Egito, a terra abençoada dos Deuses distantes! Muito embora as ruínas do seu antigo esplendor estejam agora recobertas pelas areias implacáveis, rodeadas pelo sepulcral silêncio, essa terra e o sua imensa sabedoria não pereceram como muitos possam pensar. Bem ao contrário, ela vive, imersa no silêncio porém naquele silêncio solene e mais vívido, expressivo, que atravessa os tempos de geração em geração, de civilizações em civilizações, desafiando a eternidade durante toda a frágil e transitória trajetória humana!

 

Existe no Panteão Egípcio uma Deusa pouquíssimo conhecida: Meretseger - A Deusa Que Gosta do Silêncio! Como todos os deuses do Antigo Egito, repleta de metáforas e dos mais altos simbolismos - mistérios somente compreensíveis e ao alcance dos mais Altos Iniciados.

 

Poucos sabem, mas Meretseger, também conhecida como a sacrossanta Deusa do Ocidente (ou "a terra dos mortos" para os egípcios) era a contraparte do deus chacal Anúbis, o guardião das tumbas e, por sua vez, igualmente a protetora da Necrópole. Encimando as tumbas do Vale dos Reis, local de repouso dos faraós, existe essa pequena pirâmide, cuja guardiã era justamente ela, a Deusa Que Gosta do Silêncio - a poderosa Meretseger!

 

E muito embora ignorado pela Arqueologia, existe ali um santuário - um oratório, dedicado a Meretseger, a Dama do Silêncio! (FOTOS: maxim-tours.com)

 

Alta sabedoria! Uma sabedoria que os Antigos Egípcios jamais exprimiam por meio de discursos, mas, sim, através do SILÊNCIO, pela visão provocada, pelos mais altos simbolismos!

 

O Antigo Egito ainda vive? SIM, assim como TAMBÉM alguns daqueles que nele promoveram as suas mais remotas existências. Impossível? NÃO!

 

Pois, a amada Deusa que Gosta do Silêncio era também aquela que guardava os "adormecidos" e velava pelas reencarnações. E em se falando nisso, devemos agora retornar a um assunto que abordamos em uma nossa página anterior, mostrando esse milenar busto egípcio em exposição no Field Museum, situado em Chicago, EUA, retratando uma princesa egípcia que viveu por volta do ano 1050 Antes de Cristo - e cuja incrível semelhança com a face do cantor pop Michael Jackson, falecido em 25 de junho de 2009, causou comoção ao mundo.

 

Como se recordam, logo associamos essa sutil "coincidência" com o fato de que a reencarnação existe mesmo, e que através dos tempos os sexos podem mudar! Todavia, carregamos conosco certas "marcas" indeléveis - em caráter, físico, e personalidade - que dificilmente se alteram ou então se apagam nos ciclos das encarnações.

 

Da mesma forma, como também chamamos a sua atenção para o lado místico de Michael, muito ligado às coisas e tradições do Antigo Egito. Lembra-se desse detalhe?

 

Certamente que sim! Porém, continuamos a encontrar muitas outras sutis "coincidências" com relação à morte desse saudoso astro pop e o Egito. Era costume no Antigo Egito a realização de uma cerimônia de celebração que sempre antecedia ao ritual fúnebre. De corpo presente, um soberano qualquer, ou então um membro importante da realeza, aos quais eram exclusivamente destinadas as mumificações, eram velados com cânticos e homenagens prestadas pelos seus familiares mais íntimos e amigos, além dos lamentos das carpideiras....

 

.... Da mesma forma como ocorreu com Michael! (FOTO: Reuters)

 

Seguia-se o ritual do pós-embalsamamento e das preces em louvor da passagem da alma para o "outro lado do rio da vida". A expressão egípcia "cruzar o rio para o oeste", aliás, significava repousar, "adormecer"- devidamente preservado nas tumbas herméticas do Vale dos Reis.

 

O defunto já estava então embalsamado e mumificado. A múmia, nesse estado, era uma espantosa e sábia emulação da Natureza, simbolicamente significando que, tal como uma feia crisálida que depois se transforma em uma linda borboleta, a alma deixava a matéria para voar - livre, bela e radiante nas regiões superiores, no Sagrado Éter, no Seio do Espírito Universal. Lembremos, então, que Michael Jackson TAMBÉM FOI EMBALSAMADO, seu corpo foi devidamente preservado!

 

A múmia, ou o corpo embalsamado, o que vem a dar no mesmo, era - especialmente para a realeza - encerrada em um rico sarcófago, elaborado no mais puro ouro.....

 

..... E para Michael Jackson foi também destinado um caixão.... Igualmente confeccionado no MAIS PURO OURO! Um mero acaso? NÃO!

 

E será que você leu com a devida e a necessária atenção o quadro acima? Se não o fez, por favor retorne e leia todo esses tópicos, prestando bastante atenção - notadamente a partir da palavra que assinalamos em amarelo. Ou seja, no Antigo Egito o CORPO FICAVA SETENTA DIAS NA MORADA DOS EMBALSAMADORES ANTES DE DESCER À CRIPTA.....

 

E agora leia esta noticia, publicada nos jornais exatos SETENTA DIAS APÓS A MORTE DE MICHAEL - ocasião em que seu corpo foi finalmente sepultado. Uma série de marchas e contramarchas, que talvez nem mesmo a família do astro soubesse o porquê, retardou o seu sepultamento.... Justamente para que fossem transcorridos OS SETENTA DIAS - tal como o era nos sagrados rituais do Antigo Egito! Meras coincidências? NÃO! Pode acreditar que não! o que chamamos de "coincidências" simplesmente não existe!

 

Aliás, no Antigo Egito os corpos não eram enterrados, isso era considerado uma profanação ao caráter sagrado da terra! Pelo contrário, os seus sarcófagos eram encerrados em tumbas subterrâneas e mausoléus, destinados à preservação das múmias como "suportes mágicos" para que as almas dos defuntos vivessem eternamente.

 

E por sinal, não era à toa que os Egípcios sempre colocavam as suas tumbas em câmaras herméticas, profundamente escavadas no interior das montanhas....

 

.... Nesse locais, os quais atuavam mediante um efeito "condensador", havia a interação entre o telurismo (a força negativa subterrânea que percorre todo o planeta) e a energia cósmica, advinda do céu, captada por uma FORMAÇÃO PIRAMIDAL. E, lembremos, no Vale dos Reis havia a pirâmide de Meretseger, colocada no seu ponto mais elevado! Além disso também auxiliavam no processo o efeito magnético e preservador das rochas e as propriedades incorruptíveis do ouro nos sacófagos.

 

Assim, a diferença existente entre uma tumba egípcia, na qual os corpos embalsamados da realeza eram preservados, e um moderno mausoléu dos nossos cemitérios é muito pouca. Consegue-se também um efeito semelhante porém, não tão eficiente quanto o milenar e muito eficaz método egípcio.

 

E o corpo embalsamado de Michael Jackson igualmente não profanou o caráter sagrado da terra que o abrigou por 50 anos! No cemitério memorial de Forest Lawn, num mausoléu fortemente protegido tal como nas herméticas tumbas egípcias, ele é guardado para sempre, relativamente íntegro.... Milenar tradição mantida, superior à vontade humana! Que forças estranhas atuaram nesse evento? Não é mesmo verdade que a história é cíclica e sempre se repete?

 

Mas, quem foi ele realmente? Uma alma inspirada e frágil, um coração magnânimo. Alguém que pregou, cantou e praticou, o amor, a caridade e a fraternidade entre os homens, principalmente em todas as suas lindas e inspiradas músicas - enfim, deixou mensagens, gestos, atitudes humanitárias. Uma alma abençoada que, assim como tantas outras, veio para lembrar a esta humanidade descrente que o Amor não morreu como muitos apregoam - ao contrário, que ele está apenas perdido, tão-somente esquecido nas mentes e nos corações dos homens! Seus sonhos, que desejou compartilhar, inspiraram o mundo. Porém, partiu, porque terá soado a sua hora - o seu momento - de mais uma vez, voar livre nas dimensões maravilhosas do Espírito e habitar nos Planos Inefáveis da Imorredoura Luz. Como partiu? Foi deliberado? Assim o teria desejado? Não se sabe, e talvez jamais se saiba. Para as almas puras o fardo da matéria é mesmo muito pesado. Sabemos apenas aquilo o que nos ensina a Filosofia Oriental: - Aqueles que anseiam pela liberdade devem se tornar em nevoeiro. E em nevoeiro ele se foi, para certamente retornar em uma outra vida, numa outra época, talvez melhor do que esta. Ele, que nessa nossa época e nesse nosso tempo foi chamado de "O Rei do Pop", não o foi sem uma certa razão! Michael tinha mesmo as marcas e a altivez da realeza - o porte soberano de um príncipe......

 

E algum tempo depois do seu sepultamento, encontraram na residência de MIchael um último bilhete, que os materialistas e os céticos logo atribuíram à sua "confusão mental". Tal bilhete, talvez a sua última mensagem ao mundo, dizia: - CANTEM WE ARE THE WORLD. Profético! A letra dessa sua música, que por sinal encerrou a cerimônia fúnebre de Michael (foto) diz exatamente: - Chegará um tempo quando ouviremos um certo chamado, quando o mundo precisará se tornar unido, como se fosse um. Há gente morrendo, e é hora de dar um auxílio à vida: o maior presente de todos! Não podemos continuar fingindo dia a dia que alguém, em algum lugar, fará uma mudança. Somos parte de uma grande família de Deus, e a verdade, você sabe, é de amor que precisamos. Nós somos o mundo, nós somos as crianças, somos os únicos que podemos fazer um dia radiante. Então, vamos nos dar, há uma escolha que estamos fazendo, salvando as nossas próprias vidas, verdadeiramente fazendo um dia melhor, para você e eu". "Confusão mental"? De maneira alguma! Ele sabia muito bem o que estava pedindo ao mundo!

 

As marcas e a altivez da realeza - o porte soberano, de um príncipe? SIM, e do membro de uma realeza muito mais antiga do que possamos pensar! E que certamente apenas agora "dorme" - repousa distante da sua terra-mater, porém sob a excelsa proteção daquela Deusa muito antiga e esquecida - exatamente aquela deusa muito amada e que gosta do Silêncio!

 

A Natureza é sábia, é maravilhosa. As abelhas, os insetos mais inteligentes do reino animal são um exemplo disso. Elas se comunicam entre si através de bailados geométricos efetuados em pleno ar, além de terem uma elevada organização social. E elas TAMBÉM REALIZAM CERIMÔNIAS DE MUMIFICAÇÃO! A abelha rainha, a mãe de todas elas, quando morre é ritualisticamente velada, e posteriormente EMBALSAMADA com cera pelas demais. Ela foi a ALMA, o suporte da colmeia, a qual não pode ser perdida - e a mumificação da rainha irá garantir isso! Depois das cerimônias, todas as demais voam produzindo um estranho zumbido - CÂNTICOS de despedida - e então formam um arco triunfal, reverente, no espaço, dando passagem e transportando a múmia da soberana através do ar para um cripta, onde permanecerá preservada.... Como um SUPORTE MÁGICO de modo a manter viva a alma da colméia!

 

E não se iluda Prezado (a) Visitante. Existem mesmo inúmeras coisas que se situam para muito além da nossa frágil e muito limitada concepção! Os antigos Egípcios conheciam e lidavam com muitas forças que sequer sonhamos possam existir - lidavam com energias poderosíssimas, Universais e atuantes! Todos os velhos monumentos - pirâmides, templos, estátuas - que, atravessando milênios sem conta, se espalham pelas hoje solitárias areias do Egito SÃO, TAMBÉM, SUPORTES MÁGICOS - condensadores de energias - algo como "múmias" pétreas e indestrutíveis, de modo a manterem vivos.... O Espírito imorredouro e a Alma daquela velha e sábia civilização!

 

E assim também era a cerimônia ritualística sagrada dos Antigos Egípcios, uma emulação da Natureza! Através da mumificação, um prolongamento da existência terrestre - um modo de impedir a destruição da entidade humana sustentada em um plano imediatamente paralelo, onde as entidades acessórias da ALMA, através de SUPORTES MÁGICOS, eram mantidas - adormecidas e preservadas À ESPERA DE UM NOVO CORPO, seguindo através das eras, de encarnação para encarnação - onde TAMBÉM (preste atenção nisso) as estátuas e bustos daqueles que foram mumificados (viajando no tempo!) IGUALMENTE SERVEM DE SUPORTE - tudo para que, a partir de uma certa idade ocorra uma osmose psíquica, guiada pelos sagrados deuses do Egito, quando então será lançada a PONTE entre o novo ser e o seu antepassado, o qual virá a ser ele mesmo - novamente! Entendeu agora, Prezado (a) Visitante, PORQUE que Michael Jackson se parecia tanto com o milenar busto egípcio, em exposição no Field Musem de Chicago?

 

Nada de muito surpreendente nisso, pois é mesmo muito sábia a Natureza. Há uma inteligência inerente que permeia tudo. E há provas incontestáveis quanto a isso! A imagem acima, que também comoveu o mundo, não se trata de uma montagem, ou sequer de uma simples brincadeira. Ela foi publicada no conceituado Daily Mail e tomada pelo cientista e Professor Michael Nolan nas regiões geladas do arquipélago de Svalbard, Noruega. - Seria a Mãe Natureza chorando? - perguntou o editorial daquele conceituado Jornal. Quem sabe! Pois, essa foto nos mostra algo simplesmente fantástico, além de verdadeiramente surpreendente: - o derretimento crescente das geleiras parece fazer com que a Mãe Natureza chore por tudo aquilo de mau que os seus filhos fazem na sua morada! Pode ser que tenha sido uma "coincidência", um evento natural. Mas, até que ponto? (FOTO: © SpecialistStock/Barcrot Media)

 

Os Antigos, como também todas as Filosofias Orientais, nos ensinavam que o nosso planeta é um organismo vivo e sensível, dotado de alma - assim como todos os seres que o habitam. Tudo aquilo que fazemos se reflete e repercute sobre ele. Além disso, também ensinavam que os planetas são dotados de uma natureza feminina, sempre fecundados pela luz dos sóis que os circundam. A Natureza, então, é mulher, e toda mulher é sensível - e toda mulher sonha com o amor! E, assim, dá à luz a miríades de seres - criaturas exóticas que andam, voam, rastejam - sons, luzes cores, sementes que florescem, flores que espargem os seus perfumes pelos campos verdejantes - e assim por diante. Ela é uma Dama - é ELA, enfim, a esquecida Deusa que Ama o Silêncio! A abençoada Mãe - Mãe, porém, atualmente ferida, degradada, vilipendiada pelos seus próprios filhos, os quais lamentavelmente se transformaram em uma doença que rasteja pela sua abençoada e benfazeja pele - fazendo-a, então, quem sabe, verter o seu mais dolorido, o seu mais solitário pranto! E qual a mãe que não chora diante da ingratidão e da maldade de um filho?

 

Agradecemos à nossa estimada visitante Patricia Khandrik pela valiosa colaboração prestada para a elaboração desta página

 

Próxima Página

Página Anterior

The Egyptian movie theme (Alfred Newman)