Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

DO PARALELO ZERO AO TRINTA!

"Falando com franqueza, nós não sabemos o que anda acontecendo neste suposto Triângulo das Bermudas. Tudo o que podemos fazer a respeito destes desaparecimentos inexplicáveis é especular. A Marinha está tentando chegar ao âmago do mistério com um Projeto chamado "Projeto Magnetismo" no qual técnicos estão investigando a garavitação eletromagnética e os distúrbios atmosféricos. Alguns deles pensam que certos distúrbios podem ter desintegrado aqueles aviões em 1945. Um navio que estava na região relatou haver visto uma imensa bola de fogo nos céus o que, é lógico, poderia igualmente significar uma colisão em pleno ar... Mas isto é improvável por se tratar de cinco aviões. O fato é que não possuímos uma opinião segura"

(De um Porta-voz do Departamento de Buscas e Salvamentos da Guarda Costeira Americana, sobre o mistério do Vôo 19 - Charles Berlitz - O Triângulo das Bermudas)

 

Ninguém tem uma opinião segura! - "É a investigação mais difícil com a qual nos defrontamos" - afirmaram autoridades francesas, responsáveis pela análise e investigações de acidentes aéreos, com relação às causas do estranho e inusitado acidente que envolveu o fatídico vôo 447 da Air France, quando um gigantesco Airbus A-300 daquela empresa de navegação aérea que fazia a rota Rio de Janeiro-Paris, sem qualquer motivo lógico simplesmente "apagou" na vastidão do Oceano Atlântico, despedaçando-se e matando 282 pessoas, entre seus passageiros e tripulantes!

 

Assim como já vimos na página anterior, a única coisa que se sabe é proveniente do Sistema Automático ACARS daquela aeronave, o qual, sem qualquer interferência da tripulação, disparou via satélite para os escritórios técnicos da Air France, sucessivas mensagens de bizarros erros que, um a um, espantosamente tomavam o controle do comandante e simplesmente suprimiam todos os equipamentos da aeronave - desde os computadores de bordo até todos os sistemas mecânicos e estruturais de navegação.

 

Em princípio, atribuiu-se o trágico evento às turbulências que constantemente afetam a área onde ocorreu o acidente - a chamada Zona de Convergência Intertropical, a meio caminho entre o Brasil e a África - hipótese esta logo abandonada pelo fato de o comandante daquela aeronave acidentada ter tido bem diante de si o radar meteorológico de bordo (foto acima, tomada por um comandante naquela mesma área), o qual equipa todos os aviões comerciais e militares, assim permitindo que, com bastante antecedência, a rota de navegação seja alterada de modo a evitar o encontro com eventuais e severas turbulências. Além do mais, turbulências, raios, tempestades e granizos jamais são capazes de abater uma aeronave desse tipo, considerada altamente segura - reforçado ainda pelo fato de milhares de vezes por ano outros vôos percorrerem aquela mesma rota sem quaisquer problemas relatados. Tudo, por conseguinte, resulta em um grande mistério e, assim, talvez jamais venhamos a saber o que realmente ocorreu com o vôo AF-447.

 

Essa imagem tomada pela NASA via satélite nessa mesma área, nos mostra os impressionantes relevos submarinos, presentes entre os continentes Africano e os das Américas - local onde, segundo as Tradições, teria se situado o perdido Continente da Atlântida e as suas colônias mais afastadas. Especialmente essa área do Atlântico torna-se notável pelo fato de apresentar os mais estranhos fenômenos, os quais vão desde aberrações associados ao eletromagnetismo, até os inexplicáveis acidentes, bem como os desaparecimentos de aviões, navios e seres humanos - e isso desde os mais remotos tempos históricos conhecidos! (FOTO: NASA)

 

Aliás, a NASA SABE MUITO BEM que essa área é altamente estranha, devido ao que eles chama de "anomalias magnéticas" lá presentes. Aliás, o nome correto dado por eles é: - "Anomalias Magnéticas do Atlântico Sul". O mapa acima bem demonstra esses curioso fenômeno, cujas causas são ainda inteiramente desconhecidas. Todavia, sabe-se que a chamada "Anomalia Magnética do Atlântico Sul" é uma região onde a parte mais interna do Cinturão de Van Allen, tem a máxima aproximação com a superfície da Terra. Acarretando que, para uma dada altitude, a intensidade de radiação é mais alta nesta região do que em qualquer outra do planeta! (IMAGEM: NASA)

 

A coisa então viria "de cima"? A 200 quilômetros da superfície terrestre, alguma "anomalia" composta por cinturões de radiações pode, certamente, afetar em certas ocasiões tudo o que estiver lá por baixo, principalmente no ar! Um pulso eletromagnético - e os beligerantes "senhores do mundo" sabem disso, uma vez que estão desenvolvendo poderosas armas nesse sentido - é inteiramente capaz de "apagar", queimar e literalmente "fritar" qualquer equipamento elétrico e eletrônico por ele afetado!

 

Aliás, trata-se de uma área bem conhecida e já demarcada, onde diversos satélites da NASA - TAL COMO OCORREU COM O AVIÃO DA AIR FRANCE - sofreram inexplicados danos ao cruzá-la! A Anomalia do Atlântico Sul é de especial interesse da astrofísica de alta energia. Pois, trata-se de uma região cuja radiação é muito densa pelo fato de haver um “fluxo elevado de partículas” , sendo um laboratório "in situ" da radiação espacial. A NASA afirma que o seu epicentro é sobre o Oceano Atlântico Sul, FORA DA COSTA BRASILEIRA! Mas, é sabido que os efeitos ocasionados pela alta energia podem estar concentrados em alguns momentos, notadamente na região sul do Brasil. O fato de o fluxo de partículas ser tão elevado obriga que freqüentemente os detectores dos satélites devam ser fechados ou pelo menos colocados numa modalidade de trabalho “segura” para protegê-los dessas fortes radiações.

 

Em um desses casos, a equipe de operações de vôo do Satélite Terra foi surpreendida quando uma antena de elevado ganho entrou em modo de segurança inexplicavelmente. O sistema é usado para comunicações rotineiras com os satélites chamadas TDRSS, incluindo os sistemas de downlink de dados científicos do artefato. Após a pane foi executada uma série de testes de diagnóstico para encontrar o que estava causando o erro operacional. Os satélites de observação são dotados de sistemas eletrônicos nas antenas de alto ganho que monitoram constantemente as correntes elétricas que estão sendo consumidas pelos conjuntos da movimentação dos motores. Estes controlam o sentido de rotação e apontam a antena para o melhor ganho de sinal. Se a corrente elétrica exceder ou cair de um determinado limite, o sistema é programado para diagnosticar o problema e decidir, se for o caso, se estaciona o movimento ou ação, até que a equipe de operações de vôo decida o que fazer. Os dados de telemetria da nave espacial, indicaram uma corrente anômala passando através do conjunto de movimentação do motor. No início, somente uma linha central no sistema de guia da antena foi afetada e a outra linha central manteve-se normal. Em seguida, ocorreu uma detecção de falha adicional que fechou linha central. O problema não era devida falha da antena. Assim, iniciou-se uma averiguação buscando todas as razões possíveis de defeito. Foi observado que um acoplador óptico do sistema eletrônico de alto ganho era susceptível a transientes ocasionados por PULSOS ELETROMAGNÉTICOS gerados por radiação. (FONTE: Faculdades Integradas 'Espírita' - FIES Campus Universitário Dr. Bezerra de Menezes - UNIBEM/ Campus de Pesquisas Geofísicas Major Edsel de Freitas Coutinho)

 

E nesse particular, note-se algo bastante curioso: - essa tal Zona de Convergência Intertropical se situa bastante próxima de certas linhas imaginárias (ou paralelos) - algumas delas, por sinal, as mesmas que cruzam certos chamados "Cemitérios do Diabo": - Triângulo das Bermudas, Mar do Dragão (Japão) e etc. - lugares onde essas estranhas anomalias se manifestam. Não seria mesmo confiar demais na nossa moderna tecnologia para se atrever a cruzá-las, mesmo sabendo-se dos perigos que elas representam? (IMAGEM: CIMSS)

 

Sem dúvida! Mas, e se a coisa viesse também "de baixo"? Na região próxima dos Açores, já ao longo da Costa Africana, por exemplo, um local intimamente associado à Atlântida, as mesmas imagens por satélites nos mostram estranhos sinais voltados para o céu...... (FOTO: Data SIO/NOAA/U.S. Navy/NGA/GEBCO/© DigitalGlobe/Google)

 

..... Como esse estranho rosto voltado para o espaço. Seria um mero efeito visual, causado pelos acidentes naturais dos relevos? (FOTO: Data SIO/NOAA/U.S. Navy/NGA/GEBCO/© DigitalGlobe/Google)

 

Decididamente NÃO! Uma vez que TODO o nosso planeta igualmente apresenta os inegáveis vestígios de uma perdida civilização, a qual aqui esteve presente durante o nosso mais remoto e esquecido passado. O mar sempre guarda os seus segredos, porém os guardou apenas por um certo período de tempo, uma vez que as modernas imagens tomadas pelos satélites nos mostram muitas evidências conclusivas nesse sentido. Como, por exemplo, nessa outra imagem acima..... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... Aqui vista na correspondente aproximação dos detalhes. E que coisas mais estranhas seriam mesmo essas? (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Vestígios muito antigos? Sim, não tem mais como se negar isso! As imagens dos satélites nos mostram, por todo o mundo, certas ruínas desconhecidas que repousam sob as águas dos oceanos - marcas indefectíveis deixadas por perdidas civilizações de um muito remoto e esquecido passado terrestre!..... (FOTO: Data SIO/NOAA/U.S. Navy/NGA/GEBCO/© DigitalGlobe/Google)

 

.... Da mesma forma que certas coisas ainda mais estranhas que parecem nelas se movimentar! O colossal objeto submarino visto acima não é de maneira alguma um navio (claro, pois estava submerso) ou tampouco um submarino. Evidentemente, o seu estranho formato não corresponde a qualquer máquina humana conhecida! E se não se trata de artefatos humanos, QUEM exatamente os controlaria? (FOTO: Data SIO/NOAA/U.S. Navy/NGA/GEBCO/© DigitalGlobe/Google)

 

Os nossos lagos e lagoas, por sua vez e notadamente aqueles sempre próximos dos oceanos, igualmente apresentam certas bizarras "curiosidades". Nesta lagoa vista acima, existe também alguma coisa bem estranha oculta nas suas profundezas.... (FOTO: © TerraMetrics/Google)

 

..... Aqui vista na maior aproximação da imagem por satélite do Google Earth. Seria um estranho artefato, ali postado há, quem sabe, muitos milhares de anos atrás? (FOTO: © Data SIO/NOAA/U.S. Navy/NGA/GEBCO/Google)

 

Todavia, não somente os mares, como também as regiões terrestres estão repletas de curiosos sinais voltados para o espaço. Seriam marcos sinalizadores, deixados por uma antiga civilização? (FOTO: © Scankort/DigitalGlobe/Google)

 

Tudo é possível, pois esses misteriosos sinais estão colocados exatamente naquelas mais afastadas regiões do globo, onde, aliás, a nossa humanidade jamais chegou - provando, assim, que, sem qualquer dúvida, não foram obras da nossa civilização.... . (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

..... Aliás, nem poderiam mesmo ser coisas nossas, uma vez que tudo isso demandou a utilização de uma fantástica tecnologia - talvez ainda hoje não disponível no nosso tão decantado e tecnológico Terceiro Milênio! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Aqui, temos um outro expressivo exemplo disso. Essas coisas jamais poderiam se tratar de meras formações naturais. (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Sinais, sinais e mais sinais! E quanto mais se busca, mais se acha! O quê exatamente essas coisas demarcariam no nosso mundo? (FOTO: © The GeoInformation Group/Google)

 

Quem sabe antigas e esquecidas marcas relativas à PROPRIEDADE OU POSSE de "alguém" - alguém que evidentemnte não é humano! Veja isto.....(FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

..... E comprove na maior aproximação da imagem. O perfil de uma estranha criatura, cercado pelo que parecem ser misteriosos sinais gravados no solo ao seu redor! Seria uma simples ilusão de ótica? (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Não mesmo! Uma vez que existem muitos outros, talvez até mais expressivos, assim como ESTE!.... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... Revisto agora na maior aproximação: - simplesmente colossal - montanhas inteiras perfeitamente moldadas! Olho, nariz, boca, numa perfeição de detalhes simplesmente chocante! E por mais boa vontade que se tenha, não há o que negar: - trata-se mesmo de um monumento artificial! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Uma vez que, em toda a Terra, não existem quaisquer coincidências quanto à presença desses exóticos "monumentos" - se é que assim podemos chamá-los. O problema maior é justamente saber QUEM os idealizou; QUANDO e COMO os construiu e - muito principalmente - para QUAL finalidade os elaborou! (FOTO: © Infoterra Ltd & Bluesky/Google)

 

Aqui, mais um outro sugestivo exemplo, dessa feita uma face nitidamente ALIEN sobressai na desértica paisagem..... (FOTO: © Geo Eye/Google)

 

.... Algo que pode ser comprovado através da ampliação e do negativo dos seus insólitos detalhes!

 

E sempre naqueles lugares mais remotos e inacessíveis! Por que? Veja, por exemplo, este outro perfil.... (FOTO: © Cnes/Spot Image/DigitalGlobe/Google)

 

.... Agora devidamente aproximado pela imagem do satélite. Chocante, não? (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

SIM, e tão chocante quanto ele, temos este outro. Evidentemente, quem quer que tenha elaborado isso, certamente há muitos milhares de anos atrás, o fez mediante o emprego de máquinas voadoras de modo a obter uma perfeita perspectiva, como também através do uso de potentes instrumentos para cortar e moldar montanhas inteiras desde o céu! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Aqui, nessa paisagem tipicamente lunar, porém presente aqui na Terra mesmo, podemos encontrar mais uma outra "curiosidade". Observe essa imagem com bastante atenção..... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... E note o perfil de um rosto, dessa feita humano, cercado por formações quadrangulares - aparentemente ruínas, as quais decididamente não fazem parte da paisagem circundante! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Em algum outro lugar, também em meio a um oceano, uma ilha estampa para o céu a imagem de um rosto! Um rosto humano, ou seria um rosto alien? (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

E aqui, uma outra curiosidade mostrada pelo satélite do Google Earth.... onde iremos novamente nos encontrar com uma face obviamente "Alien"..... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

.... Aqui vista no seu correspondente negativo. E por que seria o fato de os analistas dessas imagens terem demarcado o lugar com um sinal em forma de cruz? Existiria algum "tesouro" por ali? Se assim for, então é só "seguir o mapa"! Disso tudo nos restaria uma hipótese muito antiga: - teria sido a Terra, em tempos muito remotos, dividida, ou quem sabe disputada, entre duas raças? Pode ser! As Antigas Tradições, bem como todos os Livros Religiosos e Sagrados relatam esse confronto que abalou o nosso planeta: - uma guerra na terra e no céu, assim destruindo muitas civilizações altamente tecnológicas e avançadas que nos precederam! (sobre FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

Antigas tecnologias no passado mais remoto e desconhecido do nosso próprio passado? Sim, claro, e por que não? Hoje, arqueólogos e cientistas dotados de mentalidades abertas já começam a reconhecer isso! Os exemplos são muitos e estes não encontram explicações por parte dos poucos tradicionalistas que se recusam a enxergar o óbvio. Nesse particular, relembremos um fato muito eloqüente, cujas imagens falam por si. Vamos agora ao templo egípcio de Denderah, dedicado à Deusa Hator - divindade também conhecida e reverenciada como a "Senhora do Céu":

 

Pois, como já sabemos, ali existem os mais expressivos exemplos quanto à utilização daquilo que seriam LAMPADÁRIOS ELÉTRICOS na antigüidade! Evidentemente que não foram fabricados pelos antigos povos do Egito, mas, sim e muito obviamente, para lá trazidos por alguma outra civilização muito mais antiga, extremamente avançada e altamente tecnológica.

 

E agora, uma outra coisa que já dissemos a você: - os Antigos Egípcios eram extremamente sutis no seu elevado e muito bem elaborado simbolismo, sempre velando em sugestivas metáforas tudo aquilo que queriam ocultamente transmitir à posteridade. O simbolismo da serpente, por exemplo, (assim como a escrita hieroglífica), tinha um sentido múltiplo: - significava ao mesmo tempo: grandes iniciadores; extraterrestres; sabedoria.... E ELETRICIDADE!

 

Sabendo muito bem disso, Erich Von Däniken, escritor suiço e pesquisador do gênero Realismo Fantástico, intrigado com as chamadas "Lâmpadas de Denderah", contratou os serviços de um cientista, no laboratório do qual foram feitas réplicas exatas daquilo que estava estampado nos estranhos murais do Templo egípcio de Hator....

 

.... Conectadas a um gerador (assim como também está estampado nos milenares murais egípcios), e dentro de um invólucro gasoso a vácuo, tal como nas nossas modernas Lâmpadas - porém, através de um efeito muito mais sofisticado! Eis, então, o resultado obtido: - exatamente idêntico!

 

Portanto, não havia mais qualquer dúvida: um gerador, ou bateria - um cabo, o conector ao bulbo - e a imagem interna da serpente, a qual representava o FILAMENTO! Agora, preste atenção nessa imagem e verá uma outra surpreendente analogia obtida através da elucidativa experiência de Von Däniken:

 

Ei-la: - O FILAMENTO TRANSFORMOU-SE QUASE QUE NA IMAGEM DE UMA SERPENTE! Que fantástica semelhança! E de onde exatamente teria vindo tal extemporânea tecnologia? Da Atlântida, cujo Egito - segundo a Tradição - fora uma das suas colônias afastadas? Originária de visitantes extraterrestres? Ou, então, de AMBAS as situações? Todas as hipóteses se tornam válidas!

 

O somatório de todos esses estranho fatos pode ser resumido em uma única constatação: - o famigerado Triângulo das Bermudas, por sua vez situado no Atlântico Norte, não estaria sozinho e tampouco seria uma área isolada com relação aos intrigantes mistérios que envolvem muitos estranhos acidentes, as aberrações de tempo e espaço, também as de natureza eletromagnética e dimensionais - bem como os misteriosos sumiços de navio, aviões e seres humanos desde um longo tempo! Alguns pesquisadores falam em poderosas tecnologias submersas, potencialmente ativas, as quais, de acordo com certas conjunções talvez de natureza planetária, entrariam em operação, gerando assim energias desconhecidas e altamente poderosas, as quais afetariam um largo campo de abrangência e ação - acima, na superfície do mar.... E bem mais acima dela, já no próprio espaço aéreo do planeta!

 

Uma coisa que todos sabem, porém alguns setores fingem que não existe, é a misteriosa presença de intrigantes ruínas submersas em toda a área do Atlântico. E, portanto, nada impede que realmente possam existir tais fantásticas tecnologias que ainda estejam em latentes processos de operação, sendo ativadas de quando em vez mediante certas circunstâncias ainda não bem determinadas. Por outro lado, a constante presença dos UFOs nessa região, onde, aliás, sabe-se que têm as suas bases submarinas instaladas, sugere que seus enigmáticos tripulantes tenham por lá, bem nas profundezas do oceano, as suas mais secretas áreas de operação. Sabe-se que os UFOs literalmente "surfam" nessas correntes eletromagnéticas, as quais chamamos de "anomalias", criando ao seu redor durante os seus deslocamentos verdadeiros "stargates", uma espécie de portais dimensionais de natureza desconhecida, os quais destroem ou arrastam consigo tudo aquilo que estiver próximo!

 

Que a presença dos UFOs é sempre associada a muitos estranhos e poderosos fenômenos magnéticos e eletromagnéticos, não é novidade alguma! E isso já é sabido desde um longo tempo, não somente pelas grandes potências mundiais, como também por vários órgãos de pesquisas isolados, tais como o extinto PROJETO MADAR (Multiple Anomaly Detection & Automated Recording), que desde o ano de 1970, sob o comando de Francis L. Ridge, veio comprovando através dos seus equipamentos de rastreio, mediante verificações efetuadas em quatro mil avistamentos, as perturbações causadas por esses misteriosos objetos celestes no nosso mundo, sendo detectadas nada menos do que 26 delas - passíveis de causarem paralisação de motores, desorientações em equipamentos de orientação e navegação, panes em centrais elétricas, e assim por diante!

 

Tudo é mistério! UFOs no céu e nos mares - como, ainda, uma profusão de intrigantes ruínas submersas!

 

Na verdade ninguém sabe o que são os UFOs, e muito menos quem edificou essa grande rede de ruínas submersas, tudo, por conseguinte, nos levando a dar o devido crédito à existência da Atlântida - e, por outro lado, assim provando que muito daquilo que chamam de "lendas" nem sempre são mesmo "lendas" no estrito sentido do termo. (FOTO: © ADC International Inc)

 

Reveja a foto anterior no seu negativo: é mesmo uma colossal pirâmide! Essa se situa nas proximidades da costa cubana, na área do Triângulo das Bermudas. Enfim, coisas como essas servem para tapar as bocas sempre maldosas dos céticos, dos recalcados e dos debochados - enfim, dos "modernos adeptos da Terra plana" - os quais, assim como também acontece com aqueles que se arvoram como os "exclusivos detentores" de uma "verdade oficlal " já claudicante (duvidosa e não mais digna de crédito), sem quaisquer conhecimentos de causa - e conseqüentemente julgando-se os "sábios dos sábios" - disparam as suas agressões e ofensas gratuitas contra todos aqueles que corajosamente ousam desafiá-los, pesquisando exatamente.... Tudo aquilo que eles mesmos omitem e fingem não ver! Louvor, pois, aos pioneiros de todos os tempos, assim desinteressadamente abrindo novos e promissores rumos para o conhecimento humano - pioneiros de uma mudança tão urgente e tão necessária nesses tempos prementes das grandes revelações.... Nesses tempos urgentemente e tão necessários do despontar de uma nova aurora na mentalidade humana!

 

Agradecemos aos nossos estimados visitantes Valéria Macedo, Marcelo Caetano e Luis Esteves (Portugal) pelas valiosas colaborações prestadas para a elaboração desta página

 

Próxima Página

Página Anterior

X Files