Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

O PAÇO DOS DEUSES ESQUECIDOS

".... Ora, desde o dia em que os nossos antepassados adormeceram na morte, todas as coisas estão continuando exatamente como desde o princípio da Criação. Pois, segundo o desejo deles, escapa-lhes este fato, de que nos tempos antigos havia ceús, e uma terra sobressaindo compactamente à água e no meio da água.... E, por esses meios, o mundo daquele tempo sofreu destruição ao ser inundado pela água"

(Segunda Carta de Pedro, Cap. 3, Vs. 4/5/6)

 

O trágico choque de aviões ocorrido sobre a Floresta Amazônica Brasileira continuava a render controvérsias. Ninguém quer admitir que lá por aquelas bandas existam forças desconhecidas que interferem nos radares, nos instrumentos de bordo e também nas comunicações com as aeronaves! Cerca de 30 "fantasmas" são captados diariamente pelos sofisticados sistemas de rastreamento aéreo, diz a notícia..... Mas seria mesmo um "defeito" nos equipamentos, principalmente quando se sabe que os UFOs são freqüentadores assíduos daqueles céus? E sobretudo "quando há nuvens carregadas", uma das mais eficientes formas de camuflagem daquelas misteriosas máquinas voadoras? Tudo indica que vai ser mesmo um certo tipo de "defeito" muito difícil de se corrigir! (FONTE: Jornal O DIA, Rio de Janeiro, edição de 20 de dezembro de 2006)

 

A imensa Floresta Amazônica, repleta de milenares mistérios, abrange quase toda a área do continente da América do Sul, estendendo-se desde o Brasil até a Venezuela, Guianas, Colômbia e Peru. E, assim como em diversos outros lugares do mundo, também nela todas as pistas nos conduzem à remota existência de uma fantástica civilização desconhecida que um dia viveu, ou se estabeleceu, na Terra. Segundo as lendas e Tradições - e tal como as evidências assim o atestam - essa civilização era habitada por seres altamente avançados, a ponto de serem considerados como "deuses" pelas mais primitivas culturas...... "Deuses" que podiam se locomover pelos céus através das suas fantásticas máquinas voadoras - máquinas estas que talvez ainda continuem a voar pelos nossos céus! Assim, TODAS as pistas convergem, e essas pistas certamente nos conduzirão a vários misteriosos lugares do planeta, justamente naqueles onde elas se tornam mais e mais evidentes..... sítios, por exemplo, tais como Nazca e Ica, no Peru - regiões fronteiriças e prolongamentos naturais daquela imensa floresta, as quais ainda guardam alguns desses maiores e mais estonteantes enigmas advindos de um passado distante e esquecido. (FOTO: © Europa Technologies/NASA/Google)

 

É em Nazca que uma vasta região de planalto acha-se coberta por mais de 300 misteriosas figuras voltadas para o céu, espalhadas por cerca de 550 milhas quadradas e que apropriadamente podem ser consideradas como biomorfas e geoglifos. Conhecidas como "Los Grabados" essas enigmáticas figuras representam na maioria das vezes estranhos animais fazendo lembrar um imenso zodíaco - mas um zodíaco que decididamente não é o nosso mas, sim, o de um OUTRO planeta! Estranho? Sim, mas nem tudo em Nazca ainda foi devidamente revelado.....

 

..... Pois, recentes imagens tomadas por satélites começam a nos mostrar em Nazca novos ângulos e muitas surpreendentes novidades até então desconhecidas. E, é claro, que não desejamos chamar a sua atenção apenas para a imensa pista longitudinal que se vê em toda extensão da imagem, mas...... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

..... Muito pincipalmente para aquilo não menos gigantesco que está situado bem ao lado dela: o nítido perfil de um misterioso personagem! Tudo muito estranho....

 

..... Pois, essas imagens revelam que além das figuras estampadas naquele solo desolado e árido, curiosos relevos também se fazem presentes...... (FOTO: © DigitalGlobe/Europa Technologies/Google)

 

...... Como se DESDE O CÉU, em tempos muito recuados e esquecidos, "alguém" (muito obviamente utilizando-se de máquinas voadoras e uma fantástica tecnologia) literalmente esculpisse o solo daquela vasta região! (FOTO: © DigitalGlobe/Europa Technologies/Google)

 

Há por lá imensos sulcos que fazem lembrar uma rota, ladeados por curiosas estruturas em forma de domos!.... (FOTO: © DigitalGlobe/Europa Technologies/Google)

 

...... Como também essa coisa espantosa mostrada pela imagem do satélite! (FOTO: © DigitalGlobe/Europa Technologies/Google)

 

E aqui, uma imensa muralha também corta a vastidão inóspita do Planalto de Nazca! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

E nessa outra área, uma gigantesca figura concêntrica sinaliza para o espaço!

 

As imagens atestam que um fantástico trabalho de terraplanagem foi também efetuado em Nazca! Aliás, talvez não sem um justa razão, essas trilhas são mesmo conhecidas como "espaçoportos", ou ainda "pistas de aterrissagens". E se assim de fato eram, decididamente não foram feitas para as nossas aeronaves convencionais. Aliás, elas nem mesmo existiam naquela distante época!

 

Aqui, uma gigantesca espiral permeia outros estranhos relevos.

 

E algumas dessas linhas (são cerca de 800 delas!) se estendem por mais de nove quilômetros, chegando uma delas a espantosamente atingir os 65 quilômetros de comprimento!

 

E essa talvez seja a mais intrigante imagem que os satélites nos mostram! Em direção à baía de Pisco, uma imensa "faixa" alaranjada segue diretamente de Nazca para o mar..... (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

 

 

...... E se você prestou a devida atenção nela, pôde sem dúvida constatar que toda a sua estrutura é incrível e literalmente perfurada..... Como se uma máquina além da nossa imaginação lá tivesse deixado a sua trilha há muitos milhares de anos atrás, quando a nossa atual civilização nem sonhava em existir!

 

Essa é a imagem da arqueóloga Marie Reiche, matemática alemã falecida em 1998 aos 95 anos de idade, que foi conhecida como "O Anjo Guardião de Nazca". Essa notável mulher passou cinqüenta anos de sua solitária vida estudando os mistérios daquele planalto, como também impediu que diversos atos de vandalismo viessem a desfigurar o local. Por incrível que possa parecer, tentaram inundar e transformar a área em "campos de agricultura", além de uma estranha tentativa do Governo Peruano em "reconstruir" os desenhos. Agora, Arqueólogos conscientes temem que com a sua morte todo o seu trabalho seja invalidado por aqueles que tentam sufocar as muito embaraçosas (e sobretudo "incômodas") evidências arqueológicas presentes em Nazca.

 

Nessa foto, Marie Reiche contemplava um relevo espiralado de Nazca. Essa notável cientista concluiu que, de fato, as imagens em Nazca são partes integrantes de um imenso calendário, todas ligadas aos movimentos do Sol, da Lua e das constelações. E contrariando as sempre muito cômodas e sobretudo simplistas versões oficiais, suas pesquisas igualmente permitiram concluir que tais gravações foram efetuadas milhares de anos atrás - muito ANTES mesmo de a Civilização Inca ter surgido!

 

Aliás, não poderia mesmo ser de outra forma. É tudo mesmo um prodigioso trabalho de Engenharia. E não venham nos dizer que índios primitivos que habitaram Nazca entre os anos 200 e 600 D.C. (oficialmente os Incas) poderiam ter feito tais proezas. Essa, por sinal, é a cômoda versão geralmente aceita. Não tem a menor lógica! E por falar nisso, você conseguiria imaginar índios, sem quaisquer tipos de ferramentas ou máquinas, esculpindo planaltos e até mesmo montanhas inteiras com tamanha simetria e precisão? Absolutamente impossível! Nazca simplesmente não tem qualquer outra explicação mais lógica a não ser que ali tenham sido registradas as marcas de uma prodigiosa civilização tecnológica que esteve presente, ou então VISITOU a Terra em tempos muito recuados! A colossal figura que você vê acima é sugestivamente conhecida como "O Astronauta" e torna-se propositadamente bem visível do céu e também desde o espaço exterior, inegavelmente provando que tudo isso foi feito DO ALTO e para ser VISTO DO ALTO!

 

E também existem outras figuras antropomórficas por lá. Veja, por exemplo, essa outra figura bastante curiosa que a imagem por satélite nos mostra. O negativo, a direita, não mente.

 

Aos mistérios de Nazca se somam os de Paracas - uma extensão natural daquele planalto que chega ao mar. Ali igualmente existem não só estranhas ruínas e misteriosas linhas gravadas no solo, como também curiosos monumentos voltados para o Oceano Pacífico. Na foto, vemos aquilo que se convencionou chamar de "A Catedral de Paracas". Note-se uma espécie de trono voltado para o mar.

 

E é exatamente em Paracas, precisamente na Baía de Pisco, que se situa o chamado "Tridente dos Andes", uma colossal sinalização que orientava, talvez para máquinas voadoras ou poderosas embarcações do passado, a precisa direção de Nazca. É tudo muito sugestivo, altamente revelador, se principalmente relembrarmos que, segundo a Tradição, o Tridente era justamente o símbolo de Poseidon - a capital da perdida Atlântida!

 

Tudo se soma e tudo se completa! Nazca, Paracas e também ICA, outro misterioso local do Peru onde uma verdadeira biblioteca pré-histórica foi encontrada pelo Dr. Javier Cabrera, representada por milhares de pedras gravadas que contam a trajetória de uma misteriosa civilização que, além de ser dotada de uma fantástica e extemporânea tecnologia, também viajava pelo espaço exterior através das suas potentes máquinas voadoras!

 

Uma civilização altamente evoluída que, conforme as nítidas imagens das Pedras de Ica nos revelam, praticava a religião solar; conhecia a ARQUITETURA; realizava cirurgias altamente complexas; mapeava constelações desconhecidas.... Como também estava intimamente ligada às intrigantes figuras gravadas em Nazca (imagem à direita)!

 

Mas, afinal de contas, que terá sido tudo isso? As marcas dos "deuses", ou melhor dizendo, daqueles que reinaram sobre a Terra em um passado muito recuado e esquecido? Faz sentido! E as chaves de todos esses mistérios talvez se achem enterradas, ou encerradas em câmaras secretas, em vários lugares, esperando apenas e tão-somente o momento mais propício, e talvez o mais maduro dos tempos, quando então serão devidamente reveladas a uma humanidade estupefata. O quê teria sido Nazca, o que representaria então nesse estonteante contexto? É em Nazca, por exemplo, que existe a imagem de uma colossal aranha ladeada por um não menos colossal triângulo. Todas as "chaves" estão, de fato, cuidadosamente veladas desde a mais longa noite dos tempos. E, quem sabe, exatamente aqui esteja uma delas! É mais do que certo que os antigos Mestres e os Grandes Iniciados SABIAM, mas nem tudo, porém QUASE TUDO transmitiram de forma velada. Sigamos, então, uma pista: Em primeiro lugar, observe com bastante atenção a imagem acima. Note o curioso prolongamento da pata da aranha e onde (e no que) termina: algo como um pequeno marco triangular! E se você por acaso tomar em suas mãos uma antiga Bíblia, e se estiver com sorte - uma vez que são muitas as versões e a maioria delas modificadas ou suprimidas - encontrará uma enigmática passagem, aparentemente sem sentido e cifrada por uma letra hebraica, que nos diz textualmente o seguinte: - "A ARANHA APANHA COM A MÃO E ESTÁ NO PAÇO DOS REIS"!

 

Próxima Página

Página Anterior

Meditation