Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

AS ESTRANHAS MENSAGENS DE GEA

"É quase como se alguém, que tenha estado aqui antes, haja deixado mensagens, para nós, na forma de certos monumentos-chaves, bem como de determinadas construções básicas, para que pudessem ajudar outras raças - suficientemente progredidas para os interpretar - orientando-as e, por vezes, admoestando-as"

(Charles Berlitz - Mistérios de Mundos Esquecidos)

 

Sem qualquer dúvida, o fundo dos oceanos guarda intrigantes surpresas e enormes mistérios. Nessa foto, tomada em 1968 pela Sociedade de Pesquisa Arqueológica Marítima dos Estados Unidos, podemos ver um complexo de estranhas edificações submersas em Andros, na região do chamado Triângulo das Bermudas.

 

Reveja a mesma imagem no negativo. Aqui, o que forma alguma pode ser contestado. uma perdida civilização deixou as suas marcas. E as antigas tradições dizem que exatamente nessa área do Oceano Atlântico existiu uma parte do continente da Atlântida, submerso há cerca de 12 mil anos devido a um grande cataclismo!

 

Há, pois, um campo vastíssimo e muito promissor a ser explorado pela Arqueologia consciente e os seus novos desbravadores. Mas tudo, tudo mesmo, atesta que não somente na vastidão das profundezas oceânicas repousam os restos de antigas e desconhecidas civilizações. E se, por acaso, ainda se torna muito difícil chegar até lá, seja pelo desinteresse oficial ou pela falta de equipamentos adequados, existe, todavia, um outro caminho bem mais fácil e bem mais acessível:

 

GEA, assim como os antigos chamavam a nossa Terra-Mãe, está repleta de desafiadores enigmas. E esses chocantes enigmas, ou vestígios, bem mais à mão do que os dos mares, acham-se espalhados por quase toda a superfície do nosso planeta e são representados por uma fantástica evidência: uma antiga civilização manipulava montanhas inteiras, nelas esculpindo os seus inusitados monumentos com a maior desenvoltura. O que, aliás, denota o emprego de uma extemporânea e além de tudo muito avançada tecnologia desde milhares, ou talvez milhões, de anos atrás! O Brasil é um desses locais, muito embora os comodistas sempre prefiram atribuir à erosão tais estranhas esculturas, as quais se estendem de Norte a Sul do nosso país. O que você vê acima faz parte de um estranho complexo rochoso localizado no Estado de Pernambuco, precisamente na Serra do Catimbau, situada na Região Nordeste do imenso território brasileiro......

 

....... Onde também podemos encontrar esse gigantesco e além de tudo muito perfeito rosto em pedra que, por sinal, aparentemente ostentaria o formato de uma esfinge!

 

Embora já muito desgastadas pelo decorrer das idades e pelas intempéries, coisas bizarras espalham-se pelas montanhas de Catimbau.....

 

.... E não se pode de maneira alguma atribuir tudo isso à erosão, uma vez que a antiga presença de seres inteligentes está estampada em suas curiosas e muito reveladoras pinturas rupestres.....

 

...... As quais ainda nos mostram as milenares imagens de estranhas criaturas dotadas de apenas três dedos. Entenda isso quem puder!

 

Pois, não há nada demais nisso. Nossa Terra já conheceu muitas outras civilizações além da nossa! Não fomos os únicos e tampouco os primeiros. Veja, por exemplo, isso: Um artefato, possivelmente um pote, moldado em ferro - encontrado no interior de uma rocha sedimentar em um sítio arqueológico norte-americano, datado de..... 312 milhões de anos. Em uma época em que (teoricamente) os homens ainda não existiam.

 

Dartmoore, Inglaterra. Note-se o corte e a sobreposição de pesadíssimas rochas para formar esse outro curioso monumento. Como se explicaria isso sem o auxílio de ferramentas apropriadas..... Em uma época em que as ferramentas aparentemente não teriam existido?

 

Simplesmente admitindo-se que, de fato, existiram evoluídas civilizações no mais nosso remoto passado! O nosso planeta - e isso é uma verdade científica - sofreu diversas transformações ao longo das idades sem conta. Períodos de glaciação, secas, maremotos, terremotos, erupções vulcânicas, além de muitos outros cataclismos que alteraram profundamente a sua estrutura. Nossa atual civilização um dia poderá também ser extinta de maneira talvez abrupta e muito repentina. Trata-se de uma eventualidade bastante possível e sobretudo aterradora. E o quê restará de todo o nosso orgulho tecnológico? NADA, simplesmente nada.

 

Somente as pedras sobrevivem e nelas nada deixamos, a não ser no Monte Rushmore, em Dakota do Sul, EUA, no qual estão retratadas na rocha as imagens dos rostos de quatro ex-presidentes daquele país. Com o tempo, isso poderá ser profundamente corroído e os futuros céticos da civilização que vier a nos suceder poderão - e da mesma forma - atribuí-lo à erosão. Vale relembrar que a construção desse monumento obviamente empregou os modernos métodos de engenharia, utilizando-se de explosivos, helicópteros e potentes máquinas perfuratrizes - além de toda a necessária infra-estrutura de logística e transportes - mesmo com tudo isso levando longos 14 anos para ser finalmente concluída. E além de tudo não está postado nem à metade da altura das montanhas que ostentam os estranhos monumentos do nosso mais remoto e desconhecido passado!

 

Uma vista lateral do complexo monumental de Monte Rushmore. O que restará desse perfil rochoso, por exemplo, daqui a 10 mil anos? Possivelmente uma imagem bastante desgastada que lembrará um rosto..... Tal como hoje encontramos centenas deles espalhados por toda a face da Terra!

 

Latmos, Inglaterra. Um gigante de pedra, perfeito nos seus mínimos detalhes, contempla a eternidade. Logo abaixo e adiante dele vemos uma outra face!

 

Agora veja um outro "primor", como sempre atribuído à erosão. Aqui é Badlands, em Dakota do Sul, EUA. Preste bastante atenção nos seus impressionantes detalhes, já que aqui a "erosão" (como, aliás, sempre acontece) mostrou ser dotada de uma rara sensibilidade artística. Um manto; um véu; um rosto aparentemente feminino; cabelo; olhos; nariz; boca e braço! Não é mesmo chocante? (FOTO: Edward Kluk)

 

Claro que SIM! Mas veja isso agora: a enorme estátua (ainda em Badlands) de uma estranha criatura do tipo "alien" que, por sua vez, também foi retratada na rocha usando um manto. Seus braços e mãos são igualmente bem visíveis.

 

Que "erosão" mais estranha é mesmo essa, não? Ainda em Badlands. Aqui parece ter sido retratado um enorme pássaro abrindo as suas asas. Bem atrás dele, o perfil de um rosto! (FOTO: Edward Kluk)

 

E aqui (e só não enxerga quem não quer), lado a lado, dois outros perfis de estranhos rostos que até mesmo usam uma espécie de toucado!

 

E agora, uma perfeita e além de tudo imensa pirâmide, a marca dos antigos deuses, moldada na rocha bruta de Badlands! O nome desse local, aliás, parece ser bastante sugestivo: Badlands = "terras ruins", ou "más". Quem sabe um lamento, uma antiga recordação de um povo que, refugiado, chegara de longe? E quem exatamente poderia ter produzido tudo isso há milhares, ou quem sabe milhões de anos atrás? (FOTO: Edward Kluk)

 

Toth, o deus do Antigo Egito, responsável pela transmissão da escrita para aquele povo - apenas um dentre tantos outros "deuses" que as velhas tradições dizem ter sido os preceptores e os iniciadores da raça humana. Então, a resposta que buscamos é uma só: OS ANTIGOS DEUSES, uma raça superior e muito evoluída, a qual em todas as antigas e primitivas culturas veio a ter os seus remanescentes reverenciados como tal, notadamente em razão da sua avançada tecnologia! Seres extraterrestres, assim chamados de Os Antigos Astronautas? Quem sabe os sobreviventes dos perdidos continentes da Atlântida e Lemúria? Ou seja lá o que quer que tenha sido, o certo é que legaram à posteridade uma mensagem silenciosa porém bastante expressiva. Uma mensagem que ainda hoje pateticamente acena aos inúmeros olhos cegos e aos inúmeros ouvidos moucos, lembrando-nos que um dia TAMBÉM todo o nosso orgulho tecnológico poderá igualmente vir a se extinguir para sempre nos implacáveis, nebulosos e, por conseguinte, infinitos corredores do tempo. (FOTO: BBC )

 

Próxima Página

Página Anterior

HERETIC music