Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

ORIUNDI

"A História do mundo está composta de uma sucessão de ciclos que, em determinados momentos de tempo, impõem ao homem a repetição analógica de alguns acontecimentos. Uma vontade desconhecida brinca com os seres e com as coisas, obrigando-os a modelar-se segundo o seu desejo"

(Guy Tarade - As Portas da Atlântida)

 

Sem dúvida! E o nosso brilhante confrade Guy Tarade também já escrevera que - "Há um fato curioso na História do Egito: quanto mais se avança no tempo, mais os reis se identificam com deuses, isto é, com seres vindos do céu". Sim, e de nossa parte também concordamos plenamente com isso. Para começarmos, vejamos essa antiga pintura dos índios norte-americanos Navajos, os quais habitaram a região do misterioso Grand Canyon, onde, sabemos, foi encontrado um imenso complexo de câmaras, túneis e galerias escavados por debaixo das suas montanhas, repletos por sua vez de sarcófagos e múmias estranhas, curiosos artefatos e um simbolismo tipicamente PROTO EGÍPCIO - ou seja, vestígios muito mais antigos do que a fundação do Egito, e muito paradoxalmente tipicamente EGÍPCIOS! Mas quem era exatamente essa misteriosa raça e como chegara ao antigo território da América do Norte? As Antigas Tradições dizem que os sobreviventes da catástrofe que vitimou o continente da Atlântida, submergindo-o, escaparam nas suas NAVES VOADORAS e nas suas embarcações, espalhando-se por várias partes do planeta. A pintura indígena acima diz respeito às antigas tradições dos antepassados dos Navajos e certamente relata uma acontecimento histórico muito antigo. Repare bem nos quadros situados à direita. No superior, vemos OBJETOS VOADORES por sobre o oceano, enquanto pessoas se afogam logo abaixo nas águas revoltas. No quadro inferior, vemos personagens usando roupas tipicamente semelhantes aos macacões de vôo!

 

Porém, não é somente no território dos EUA que existem as claríssimas evidências da chegada dessa raça proto-egípcia em tempos muito remotos. Na distante Austrália existem igualmente as suas indeléveis marcas - assunto, por sinal, já mostrado em uma página anterior deste nosso Site. Porém, recentemente. naquele mesmo continente - precisamente em uma região denominada Kimberley - uma outra estonteante surpresa surgiu: em um sítio arqueológico foram encontradas mais e mais evidências! Além de intrigantes e multicoloridos painéis pintados nas suas rochas (foto), veremos a partir de agora as novas e irrefutáveis provas quanto à presença desse misterioso povo também na Austrália.

 

Neste outro painel de Kimberley, vemos uma imagem que sugere um vôo por sobre o oceano tendo também, logo abaixo, a imagem de algo que lembra uma embarcação.

 

E neste outro painel, vemos o que parece sugerir a chegada em massa de alguns personagens àquelas terras - possivelmente os refugiados. Note-se que o artista até conferiu aos personagens um certo clima de desolação.

 

E agora começamos com as mais chocantes evidências: sinais hieroglíficos, ou melhor dizendo, proto-hieroglíficos EGÍPCIOS, gravados em grandes extensões rochosas! O Hieróglifo "Neter", em frente à figura humana, significando "deus" ou "divindade", nos leva a pensar que a mensagem acima possivelmente signifique algo como "O Guardião Divino".

 

E o símbolo do Sol claramente denota que tal povo praticava o culto de adoração solar, o que também coincide amplamente com o que dizem as Antigas Tradições sobre a raça atlante. Tal culto viria mais tarde a ser implantado no Egito.

 

Mais e mais hieróglifos que também mais tarde seriam adotados nas terras do Nilo, alguns deles desconhecidos. Note-se, abaixo e à direita, o relevo determinativo de uma embarcação sobre os sinais hieróglifos que significam as ÁGUAS.

 

Aqui, a continuação do painel hieroglífico visto acima. Encontraremos adiante algumas supresas na sua tentativa de tradução.

 

E preste também muita atenção nesse outro muito revelador detalhe.

 

Enfim, em todos esses caracteres hieroglíficos tipicamente egípcios e que espantosamente não eram verdadeiramente egípcios, mas, sim, muito mais antigos (estima-se em 17.500 anos), encontraremos as provas de que essa desconhecida raça se espalhou pelo mundo antigo, implantando os seus conhecimentos e tornando-se a base de várias culturas que prosperaram no nosso passado. São vestígios arqueológicos que comprovadamente antedatam às pirâmides egípcias e até mesmo às pinturas nas cavernas européias, estas efetuadas durante o Período Paleolítico!

 

Provas por demais evidentes! Aqui, o determinativo que no Egito simbolizaria "HERU NUB" - literalmente "HÓRUS DOURADO", o deus-falcão!

 

E o primeiro hieróglifo da imagem acima é um símbolo de negação, algo como um "não". Todos os três caracteres foram igualmente usados no alfabeto do Antigo Egito. Aliás, os hieróglifos egípcios podem ser considerados como a mais avançada forma de escrita de toda a antigüidade. E não se pode conceber que rudes pastores nômades repentinamente começassem não só a construir pirâmides e outras portentosas edificações, como também a aplicar tão elevada e sofisticada forma de comunicação!

 

Outro sinal de negação, tendo abaixo um sinal correspondente à letra egípcia "M" e, a seguir, um caracter bizarro e desconhecido - possivelmente (e bem da maneira que mais tarde iria ser adotada no Egito), um sinal determinativo da palavra que se desejava expressar. Por exemplo, é como alguém escrever P+Ã+O = PÃO e logo a seguir desenhar a figura de um pão para facilitar o entendimento do leitor.

 

E a ampliação desse detalhe nos mostra um ritual funerário tipicamente "egípcio", com hieróglifos que mais tarde significariam 'Stero Teta en Ankh" = "o bem-aventurado (isto é, o defunto mumificado, ou aquele que dorme na morte) vive eternamente".

 

Aqui, mais hieróglifos que mais tarde seriam utilizados na escrita egípcia, por sinal considerada pela religião e pela Tradição do Antigo Egito, não sem uma certa dose de razão, como "transmitida pelos deuses". O primeiro hieróglifo da direita, "SEKEN", significaria no Egito "Ser forte, Maestria, ou Mestre".

 

E aqui mais uma notável similaridade: o emprego do antecessor dos "cartuchos" para escrever nomes de soberanos nos seus interiores! No Egito eles se tornariam ovais, recebendo o nome de "Ren". Salvo engano nosso e "egipciamente" traduzido, o primeiro deles, à esquerda, traria um título e poderia ser traduzido como NETER-NEKEB-PAUT-RU. Já o nome do soberano, contido no outro "cartucho", poderia ser traduzido como "RUMESU" - Nomes totalmente desconhecidos na história clássica do Antigo Egito, mas.... Este último um nome todavia muito similar àquele que mais tarde viria a ser adotado por faraós de algumas Dinastias, porém como RAMASSES, ou Ramsés, ou "Nascido do Sol - quem sabe como uma espécie de homenagem aos velhos antepassados, ou, muito possivelmente, aos "deuses" fundadores da Civilização Egípcia!

 

Um outro simbolismo de Kimberley que mais tarde no Egito significaria "Teser", ou seja, a coroa vermelha do Norte!

 

Agora, vemos a continuação de um painel hieroglífico. Mais uma vez, temos um "cartucho" retangular contendo o nome RUMESU! Tudo isso, portanto, nos provaria, sem qualquer margem para dúvidas, uma antigüidade muito superior à própria fundação da Civilização Egípcia. E não se pode pensar de outra maneira, ou mesmo dizer que isso se trata de uma simples fraude! Não só a autenticidade, como também a antigüidade desses milenares caracteres são inquestionáveis.

 

Assim como os proto-hieróglifos também há estranhos símbolos gravados em relevos nas rochas, possivelmente retratando artefatos voadores, ou quem sabe máquinas desconhecidas.

 

Fantástico em demasia? NÃO! Recordemos uma foto mostrada em uma página anterior, versando sobre um outro sítio arqueológico - também na Austrália - contendo muitos proto-hieróglifos semelhantes e também.... A nítida representação de um UFO! Lembremos que a autêntica Tradição Rosacruz (digna de TOTAL credibilidade) relata o fato de a Atlântida ter sido fundada por seres extraterrestres, oriundos de uma outra galáxia. Essa mesma Tradição nos diz que esse povo possuía avançadas tecnologias as quais incluíam suas fantásticas máquinas voadoras que lhes permitia até mesmo viajar pelo espaço sideral, tendo, por outro lado, estabelecido aqui na Terra várias colônias! Por ocasião do cataclismo os sobreviventes se viram entregues à própria sorte, recomeçando então a sua aventura por lugares esparsos.

 

E em alguns multicoloridos painéis de Kimberley, temos algumas outras revelações surpreendentes - talvez as mais surpreendentes de todas: desenhos das "mãos" de criaturas totalmente fora dos convencionais padrões humanos. Entenda isso quem puder.....!

 

 

Próxima Página

Página Anterior

Heretic