Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

QUANDO VOAM OS BESOUROS

"Iniciado nas ciências chamadas malditas, Gérard de Nerval sabia que uma super-civilização, originária do Cosmos havia, na aurora do mundo, implantado suas estruturas em nosso planeta. Esta civilização desapareceu num cataclismo gigantesco, mas seus vestígios nos oferecem, hoje, muitos segredos que nos foram voluntariamente ocultos"

(Guy Tarade)

 

Vida em Marte? Uma Herança Cósmica? - pergunta o título deste livro de autoria do notável cientista Fred Hoyle. A nossa modesta resposta é... SIM, já houve vida inteligente em Marte e a herança cósmica diretamente de lá chegou precisamente ao Antigo Egito. Porém, daquilo que restou naquele velho planeta, as mais recentes fotos tomadas pelos módulos que no seu solo chegaram, nos revelam que ainda existe qualquer coisa por lá - quer movendo-se na sua avermelhada superfície ou saindo das suas profundas tocas subterrâneas!

 

Como por exemplo aquilo que nos mostra essa surpreendente imagem: de um buraco à esquerda, uma coisa bastante estranha coloca a cabeça para fora!

 

Ei-la, em maior aproximação e também no negativo. Não há o que negar.

 

E na seqüência das fotos, Voilá! Como num passe de mágica, a coisa - talvez assustada pelo flash das câmeras do módulo - rapidamente tratou de se proteger, tapando e engenhosamente camuflando a entrada da sua toca!

 

E até parece que os módulos terrestres pousados no aparentemente (mas só aparentemente) estéril e morto solo marciano atraem a atenção das mais bizarras criaturas. Vejam só que coisinha mais esquisita essa aí da foto. Se não for o resto de uma antiga estatueta, estaremos diante de mais um bizarro habitante da atual fauna marciana.

 

E você quer ver mais um exemplar? Olhe com bastante atenção esta foto. E principalmente os rastros deixados pela inusitada criaturinha.

 

Reveja na ampliação e também no negativo, à direita. Não é mesmo chocante?

 

E não se trata de fantasia ou mesmo abstração, sequer uma coisa impossível. Além do gelo, visivelmente nesta foto em várias regiões daquele planeta, a água também existe em abundância no subsolo marciano - como até mesmo em alguns pontos da sua superfície! É, pois, bastante possível que certos animais pertencentes a um habitat subterrâneo e sobreviventes da desconhecida catástrofe que varreu a quase totalidade da vida naquele distante planeta, tenham se adaptado às novas circunstâncias e por vezes venham à superfície.

 

Sim, coisas bizarras rastejam no intrigante solo marciano. Veja aquilo que está assinalado pela elipse vermelha....

 

..... Deseja ver mais perto? Então repare que coisa mais estranha era mesmo essa! E ainda insistem em nos impingir que Marte é um planeta totalmente "morto"....!

 

Ué! Voltamos à Terra repentinamente? O quê esses simpáticos e adoráveis animais marinhos, os altamente inteligentes golfinhos, teriam a ver com o planeta Marte? Acreditamos que MUITA COISA MESMO! Quer saber o porquê?......

 

.... simplesmente porque em uma grande extensão do planeta Marte a nítida figura desse mamífero foi nitidamente estampada pelos antigos habitantes daquele planeta, obviamente significando que era por eles reverenciado! Lembremos que Marte possuiu rios e mares no seu distante passado! Com uma inteligência muito próxima do ser humano, ao qual demonstra uma profunda amizade, e possuindo inclusive uma linguagem própria que já começa a ser decifrada pelos cientistas, é bastante possível que o golfinho venha um dia a revelar que CHEGOU AQUI NA TERRA..... VINDO DE FORA e trazido pelos antigos humanos, os refugiados do seu planeta de origem!

 

E esse estranho objeto, fotografado por um dos nossos recentes módulos, obviamente não se trata de um animal. Mas que é inusitado, lá isso é! Parece ter sido trabalhado, ou então manufaturado. Claro que não, mas que o danado se parece com um dos nosso ferros de passar roupa, não é mesmo que se parece? Note-se o estranho formato da sombra, logo atrás dele. Aliás, vá ser parecido assim lá na China - ou melhor dizendo, lá em Marte!

 

Pois é, o pior cego é mesmo aquele que se recusa a ver! Tanto em Marte como aqui mesmo na nossa Terra, as mais gritantes evidências são sempre ignoradas pelos prestidigitadores da verdade. Estamos agora apresentando a você umas ruínas bastante curiosas, situadas na Irlanda do Norte, em uma localidade chamada Antrim, e curiosamente denominadas GIANTSCAUSEWAY - literalmente "Caminho feito por gigantes". São cerca de 40 mil blocos de pedras, como aliás se pode ver pela foto, nitidamente TRABALHADAS sob diversos formatos que vão desde o quadrado ao hexágono!

 

Essa inusitada profusão de blocos rochosos está quase sempre perfeitamente empilhada, denotando que fez parte há muitos milhares de anos de uma edificação elaborada por uma desconhecida civilização. Dizem as antigas lendas que tal trabalho foi feito pelos antigos gigantes e faria parte de uma ponte, ou caminho, que atravessaria o mar.

 

Aqui vemos várias dessas enormes e pesadas pedras de puro basalto perfeitamente empilhadas.

 

Elas, de fato, se dirigem ao mar e tudo indica que a outrora colossal estrutura de uma portentosa edificação foi destruída e corrompida pelo inexorável passar das idades.

 

Nesta imagem, dois turistas posam sobre milhares de pedras cilíndricas cuidadosamente dispostas. E agora vem o melhor da história: oficialmente, a simplista, bizarra e além de tudo hilariante explicação oficial é que "tudo isso foi um mero trabalho da erosão, causada pela lava incandescente"!

 

E você, Prezado Visitante, concorda mesmo com a opinião dos sábios de que tudo isso foi uma simples obra de "erupções vulcânicas"? "Erupções" tão inteligentes que empilham - aos milhares e simetricamente - pedras perfeitamente talhadas? Só podem mesmo estar brincando!

 

Pois é, o que eles dizem nem sempre se escreve. Igor Sykorsky, o genial russo inventor do helicóptero, foi severamente ridicularizado por especialistas e também por alguns emproados Phd's os quais formalmente vetaram o projeto do seu engenho afirmando que, segundo seus cálculos, tal aparelho jamais seria capaz de voar. Mas a estes, Sykorsky limitou-se a responder: - O besouro não pode voar, segundo as matemáticas. Mas o besouro ignora as matemáticas, faz pouco caso delas, e voa".

 

Próxima Página

Página Anterior

Victory - DOOM music