Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

COMO É EM CIMA, É EM BAIXO!

"Se a metade de um milirroentgen não basta para causar preocupação, convém então lembrar que meio quilo de ouro pode também ser chamado de "a metade de um milésimo de uma tonelada". É fácil deixar-se iludir pelas vírgulas de quantidades infinitesimais, desconsiderando-se as relações que entram, de fato, em jogo"

(John Nash Ott, cientista, referindo-se às suas denúncias - comprovadas, aliás, através de experiências - de que a exposição à radiação emitida pelos aparelhos de TV podem ser danosas à saúde - principalmente à dos jovens, levando-os à hiperatividade e também à letargia - no que foi contestado pelos técnicos do Laboratório de Análises Biofísicas da RCA, os quais no entanto se recusaram a que, justamente para provar isso, o cientista repetisse as suas experiências diante deles!)

 

Pois é! Certas coisas que não existem "oficialmente", existem mesmo realmente! Este é o antigo e tradicional palácio britânico de Hampton Court, situado a sudoeste de Londres, o qual por séculos serviu como residência da antiga monarquia. De um certo tempo para cá, porém, certas coisas bastante estranhas andam acontecendo por lá......

 

Esta foto, tomada pelas câmeras do circuito interno de segurança, em outubro de 2003, mostram um exemplo dessas estranhas coisas que andam ali acontecendo. Várias imagens tomadas pelas mesmas câmeras e em diferentes locais, mostram um bizarro espectro que assombra os ambientes daquele palácio, tendo um rosto desfigurado e parecendo usar roupas em estilo vitoriano - o qual, além de tudo freqüentemente, passa através da portas e janelas, muitas vezes fazendo-as abrirem e se fecharem sozinhas!

 

Aquele antigo palácio, efetivamente, foi palco de grandes tragédias e o estranho espectro (ampliado à esquerda, e em negativo à direita), é supostamente atribuído ao fantasma de Catarina Howard, a quinta esposa do famigerado rei Henrique VIII, exímio matador das suas várias mulheres, que mandou executá-la em 1542 sob a suspeita de adultério. Contudo, como fantasmas autênticos, isto é, fantasmas no estrito senso da palavra, não usam roupas, este não parece se tratar de um verdadeiro exemplar deles mas, sim, da chamada "memória atômica dos ambientes, ou da Natureza" - cenas cercadas por fortes emoções e que verdadeiramente ficam registradas, como uma espécie de filme que viaja no tempo, em locais onde ocorrem tragédias, acidentes e intensas ondas emocionais. E não há qualquer fraude nessas fotos, uma vez que as dependências do palácio Hampton Court acham-se vazias nessas ocasiões, sendo além de tudo constantemente monitoradas pelo seu forte esquema de segurança!

 

Eis um exemplo típico daquilo que estamos falando: a antiga e clássica foto tomada no Central Park, Nova Iorque, por um repórter fotográfico de um conceituado jornal daquela cidade, mostrando um espectro que decididamente não estava diante da sua câmera. A Natureza, assim como os ambientes - notadamente aqueles elaborados em pedras contendo certos minerais - guarda na sua memória atômica as cenas mais marcantes que se desenrolaram no local. Até hoje, por exemplo, em Hiroshima, Japão, onde em 1945 explodiu a primeira bomba nuclear, de quando em vez surgem no espaço, e por breves frações de segundos, as imagens dos edifícios e das pontes que foram volatilizadas para sempre naquela malfadada ocasião!

 

Contudo, existem certos "espectros" que são bastante reais e ainda por cima cruzam os nossos céus sem a menor cerimônia. Muitos deles até mesmo se materializam e desmaterializam à vontade na atmosfera terrestre. Nas nítidas fotos, você vê as últimas cenas que antecederam a um acidente com um UFO em Gdansk, Polônia - ocorrido em 21 de janeiro de 1959! O objeto voador mergulhou violentamente no porto da cidade, tendo se desintegrado. Porém os mergulhadores do governo efetivamente recuperaram diversos dos seus fragmentos. Alguns dias depois, duas criaturas humanóides foram encontradas bastante feridas e próximas a uma praia, logo capturadas e transportadas sob rígido esquema de segurança por forças militares da extinta União Soviética!

 

Como de fato bem explica o antigo Axioma Iniciático, "O que está em cima é igual ao que está em baixo"! E nem mesmo os astronautas americanos, quando bem distantes do nosso solo, escaparam do cerco velado dos UFOs! Nesta foto, tomada em solo lunar pelos astronautas da Apollo-14, vemos ao fundo nada menos que dois deles que pareciam observar a trajetória do módulo veicular norte-americano quando se movimentava pelo local!

 

Contudo, muito antes de o homem chegar na Lua, as sondas exploratórias já detectavam certas "estradas", ou quem sabe trilhas, elaboradas não se sabe lá por quem no sua árida superfície! Veja, por exemplo, esta foto tomada por sobre uma região denominada Sinus Medii!

 

Nesta foto, tomada dessa feita durante a Missão tripulada Apollo-15, vemos ao fundo mais um UFO espreitando a cena!

 

Novamente aqui, visto, bem à direita, quando nitidamente surgia por detrás de uma grande duna lunar!

 

Mais uma das suas manobras, fotografada pelos astronautas. Note-se que essa foto foi, digamos, proposital. E obviamente tinha o UFO como objetivo velado, isto é, não o fotografando diretamente de modo a não chamar muito a atenção dos desavisados, pois nada mais havia de interessante além dele no local.

 

Veja aquela parte da foto devidamente ampliada. E agora responda: que mais poderia ser isso além de um enorme UFO?

 

E, por sua vez, os astronautas da Apollo-16 também tiveram uma "companhia muito especial" na Lua. Tão logo chegavam e ainda em órbita, foram acintosamente seguidos por um enorme UFO!

 

Aqui fotografado quando em maior aproximação do módulo tripulado da NASA! E não há mesmo muito o que se discutir: trata-se mesmo de um UFO - e diga-se de passagem dos grandes!

 

E que por sinal pareceu ostensivamente acompanhar todas as atividades dos astronautas americanos daquela missão no solo do satélite terrestre!

 

E, da mesma forma, os astronautas da Apollo-16 não deixaram de, "assim como quem não queriam nada", sutilmente fotografar ao fundo da paisagem lunar aquele muito luminoso UFO que sempre acintosamente os espreitava!

 

Nesta foto, ainda da Missão Apollo-16, o astronauta parece examinar algo bastante estranho no solo da Lua - sempre tendo ao fundo o objeto luminoso que espreitava tudo. Aliás, dizem as sempre bem informadas "boas línguas" que a verdadeira razão pela qual os norte-americanos, como também os russos, abandonaram os programas lunares teriam sido as ostensivas ameaças veladas e até mesmo alguns "acidentes" praticados ou causados pelos desconhecidos tripulantes dos UFOs - os quais comprovadamente têm as suas bases por lá! Em outras palavras, um argumento bastante irresistível..... Muito expressiva e silenciosamente significando - "Caiam fora daqui, porque tudo isso já tem dono"!

 

Assim parece, uma vez que realmente existem por lá certas "marcas" bastante expressivas, as quais eventualmente poderiam significar sinais, ou marcos, de "propriedade". Na Cratera Picard, que de "cratera" não tem nada, por exemplo, eis o que essa impressionante foto "proibida" (em preto e branco, à direita para melhor visualização) nos mostra. E não se trata de mera coincidência. É mesmo uma colossal rosto fitando o espaço, tal como existe em Marte! Note-se que usa uma espécie de toucado e até algo que se parece com um peitoral. Repare também nos expressivos detalhes dos olhos, boca e nariz!

 

Mas.... Você reparou bem nas três fotos anteriores àquela mostrada acima? Notou que há uma estranha depressão no solo lunar, como se ali tivesse ocorrido um impacto qualquer, uma vez que aparentemente não se trata de uma cratera natural? E o quê exatamente teria nela causado tanto interesse assim por parte dos astronautas americanos? Retorne para a tal foto observe bem. O astronauta examina algo bastante estranho ao lado da cratera, não é verdade? Agora veja a respectiva ampliação à esquerda e, ao lado, a mesma imagem rotacionada.

 

Vamos rotacioná-la mais uma vez. E - voilá! - temos a bizarra imagem do que parece ser um pequeno esqueleto alienígena - possivelmente de um humanóide morto em um acidente - com um UFO ou u'a máquina qualquer - cujo impacto teria arremessado seu corpo ao lado da tal depressão, causando em conseqüência uma outra de reduzidas dimensões..... E isso bem na superfície da "nossa" Lua!

 

E, por bastante oportuno, não esqueçamos daquilo que reservadamente revelou a um Professor, o astronauta Neil Armstrong durante uma conferência oficial: - It was incredible, of course we had always known there was a possibility, the fact is, we were warned off! (by the Aliens). There was never any question then of a space station or a moon city". Ao que perguntou o Professor: - "How do you mean "warned off"? Armstrong respondeu: - "I can't go into details, except to say that their ships were far superior to ours both in size and technology - Boy, were they big!...and menacing! No, there is no question of a space station". Para resumir, a NASA sempre contou com a possibilidade de encontrar criaturas alienígenas na Lua. Porém, nem pensar em estabelecer uma estação espacial ou uma base por lá, simplesmente porque os astronautas terrestres foram "postos para fora". - "Não posso entrar em maiores detalhes, exceto dizer que as naves deles eram infinitamente superiores às nossas em tamanho e tecnologia". E Armstrong encerrou ainda a sua espantosa resposta com a seguinte exclamação: - Rapaz, elas eram enormes..... E ameaçadoras!".

 

Sim, forças estranhas e desconhecidas tentam mesmo impedir a nossa ascensão ao espaço exterior! Na reprodução artística acima (REUTERS), vemos o que seria a abertura no solo do planeta Marte do módulo-robô Beagle-2, a primeira sonda espacial européia, lançada pela ESA (Agência Espacial Européia), sediada em Darmstad - Alemanha. Transportada e lançada com sucesso pela Mars Express que ficou em órbita de Marte, a sofisticada sonda exploradora que custou mas de 1 bilhão de Dólares simplesmente silenciou em finais de dezembro de 2003, exatamente quando deveria ter tocado o solo avermelhado daquela planeta em busca de indícios de vida - não se sabendo o seu destino, ou o que realmente teria ocorrido com ela! E não há nada demais nisso, uma vez que inúmeras outras sondas e módulos anteriores simplesmente sumiram de maneira inexplicável em pleno espaço, precisamente quando tentavam orbitar ou mesmo pousar naquela enigmático planeta! QUEM, ou O QUÊ, exatamente as estaria neutralizando, ou quem sabe seqüestrando?

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA VER MAIS FOTOS

 

Próxima Página

Página Anterior

Sanctum