Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

=> Devido ao grande volume de informações contido nesta página, pedimos que aguarde aqui no topo o seu completo carregamento, de modo a obter uma compreensão melhor e mais detalhada do intrigante assunto nela abordado.

AKAHIM, AKHANIS, AKAKOR!

"É estranho, porém real. Pois o verdadeiro é sempre estranho, sempre muito mais estranho do que a própria ficção"

(Lord Byron)

 

Sim, o nosso planeta tem sido desde tempo imemoriais um dos alvos preferidos das visitas de seres alienígena! E as provas quanto a isso realmente existem, estando porém ocultadas do grande público através de uma espessa e além de tudo vergonhosa cortina de silêncio. Na foto, você vê a múmia de uma dessas criaturas provenientes de outros mundos, descoberta durante recentes escavações no Egito. Segundo notícia publicada no "The National Exposer" em 10 de julho de 2001, os cientistas constataram que essa criatura alienígena humanóide estaria em estado de ANIMAÇÃO SUSPENSA e portanto apta a ser um dia revivida! Eles acreditam que possivelmente a ciência da mumificação adotada e praticada pela Civilização Egípcia tenha sido uma emulação dessas avançadas técnicas trazidas pelos antigos visitantes e iniciadores extraterrestres!!! Essa múmia de uma criatura desconhecida está preservada através de um curioso e avançadíssimo processo semelhante à desidratação e além de tudo envolta em material desconhecido no nosso planeta! Trata-se de um processo infinitamente superior à nossa Criogenia (preservação de corpos através de refrigeração) e que, bem ao contrário desta, não requer manutenção - permitindo assim a animação suspensa por tempo indeterminado!

 

Essa é a insondável Floresta Amazônica, situada ao norte do território brasileiro, e também conhecida como "O Inferno Verde", onde em alguns pontos nem mesmo os índios se atrevem a ir e a luz do Sol não consegue sequer atingir o solo quase sempre hostil. E onde certamente se escondem alguns dos maiores mistérios de toda a Terra! Ainda inexplorada e virgem, conservando-se intacta desde as remotíssimas eras pré-históricas, ali existem os vestígios muito antigos não só de perdidas civilizações, como também......

 

..... Certas coisas que vão muito mais além do que possa alcançar a nossa imaginação! Nossa estranha estória começa no distante ano de 1971 quando a tripulação de uma avião comercial da Swissair, sob o comando do veterano aviador alemão Ferdinand Schmidt, aterrissou em Manaus - capital do Estado do Amazonas. Aproveitando uma folga e passeando nas ruas daquela cidade, os tripulantes foram abordados por um mendigo trajando vestes esfarrapadas que lhes solicitou o pagamento de um almoço..... EM IDIOMA ALEMÃO FLUENTE! Perplexos, os visitantes não somente pagaram o tal almoço solicitado como também, bastante interessados, entabularam conversação com o tal mendigo poliglota. Após beber algumas coisas, o surrealista mendigo literalmente "soltou a língua" e revelou ser um membro de uma tribo desconhecida chamada UGHA MOGULALA e que era mestiço..... Filho de SOLDADO ALEMÃO e mãe indígena!

 

E não era só isso! O tal "mendigo" revelou à perplexa tripulação da Swissair que entre os anos de 1939 e 1941 (e portanto durante a época da Segunda Guerra Mundial), seu povo recebera a visita de cerca de 2 MIL SOLDADOS NAZISTAS que traziam consigo pesados armamentos e também sofisticados equipamentos - alguns deles desconhecidos - tendo nas densas selvas se instalado! Retornando à Alemanha, o comandante Schmidt procurou o famoso jornalista Karl Brugger (foto), da rede alemã RDA, revelando a ele todos os detalhes daquela misteriosa ocorrência. Brugger, sem saber que com isso iria assinar a sua própria sentença de morte, se interessou vivamente pelo relato do comandante e resolveu vasculhar o fato mais a fundo.

 

De fato, pesquisando antigos arquivos da Alemanha nazista, Brugger descobriu documentos secretos e também um certo filme muito especial, no qual era revelado que em 1945 Hitler despachara um submarino equipado com aviões anfíbios e levando soldados de elite da SS, precisamente na direção do território brasileiro! E também mais tarde foi apurado que várias equipes nazistas remanescentes (não se sabe vindas de onde) lá chegaram após o final da guerra e até mesmo vários anos depois, em 1965! Na foto, vemos um "frame" daquele filme, mostrando o hasteamento de uma bandeira nazista em pleno coração da Floresta Amazônica! Aliás, aquele filme inclusive mostrava todas as fases da montagem de uma base nazista supersecreta naquela região!

 

Brugger, então, começa a fazer uma série de viagens investigativas ao Brasil. E durante a primeira delas, precisamente em 1972, na busca do tal mendigo poliglota pelas ruas de Manaus efetivamente o encontrou. E este confirmou tudo sobre a presença nazista naquela área como também lhe revelou coisas ainda mais surpreendentes, como por exemplo a existência de TRÊS CIDADES PERDIDAS NAS SELVAS AMAZÔNICAS, cujos nomes seriam AKAHIM, AKHANIS E AKAKOR - todas elas obras de uma desconhecida raça e repletas de velhos templos e imensas pirâmides! E mais ainda: o tal mendigo poliglota dissera que na primeira delas, Akahim, era adorado pela sua tribo "um objeto poderoso, há muito tempo atrás entregue aos sacerdotes de seu povo pelos DEUSES VINDOS DO CÉU em uma nave brilhante"! Um objeto milenar que segundo as tradições "começaria a cantar no momento em que aqueles distantes deuses retornassem à Terra"!!! E segundo ainda revelou, o tal objeto recentemente começara a emitir estranhos zumbidos, semelhantes aos de enxames de abelhas, causando imenso fervor e reverência ao seu povo!

 

Brugger, de fato e levado pelo tal "mendigo" do qual conquistara a confiança, veio a se encontrar posteriormente com o chefe da tal tribo UGHA MOGULALA (foto) cujo nome era TUTANKANARA. Note-se que seu biótipo diferia totalmente dos padrões indígenas brasileiros. Era quase branco, feições européias - muito possivelmente também um descendente dos alemães! E além de tudo sabia demais sobre as três cidades perdidas! Segundo relatou a Brugger, os antigos deuses partiram delas há muito tempo nos seus "discos que voavam", deixando porém quatro dos seus "adormecidos" nos secretos interiores dos seus templos. Brugger, por sinal, acreditava que seriam os corpos em estado de animação suspensa de quatro entidades alienígenas! E as antigas tradições deixadas por aqueles "deuses" diziam que "se algum dia os "bárbaros" descobrissem Akakor, eles se encontrariam diante da sua própria imagem"! Bastante sutil, uma vez que os Uga Mogulala disseram que os corpos dessas criaturas "adormecidas" seriam quase idênticos aos nossos, exceto pelo fato de terem seis dedos em cada mão!

 

E que nome curioso tinha mesmo esse chefe Ugha Mogulala, Tutankanara..... E de raiz tipicamente EGÍPCIA!!! Se Brugger e os demais pesquisadores não atentaram para este sutil detalhe, nós o fazemos agora: lembremos do faraó TUTANKHAMON, nome que em egípcio arcaico significa TUT=IMAGEM, ANKH=VIVA, EN AMEN= DE AMON (deus egípcio). Por sua vez, o nome do tal chefe daquela desconhecida tribo tinha, conseqüentemente, um nome espantosamente dotado de raiz egípcia: TUTANKANARA, ou seja, TUT=IMAGEM, ANKH=VIVA, EN= DE, RA= O deus SOL!!!

 

Simplesmente chocante! Até mesmo porque os próprios nomes Akhaim, Akhanis e Akakor são igualmente de origem egípcia - ou quem sabe originários da antiga e muito evoluída civilização (Atlântida?) que a precedeu e veio a se perder no tempo. Muito espantoso mesmo! Haveria uma origem antiqüíssima e no entanto comum entre o Antigo Egito e as selvas brasileiras? Tudo parece indicar que SIM!

 

E você teria alguma dúvida quanto a isso? Então veja só o que descobrimos diretamente do dicionário de hieróglifos egípcios! Aí está claramente o nome AKAHIM, palavra que significava "Elevar ao trono, coroação de um rei"!

 

E aqui está algo muito semelhante a AKHANIS, aliás a correta leitura dos sinais hieroglíficos é AKAII, significando "O guardião do portal do Tuat (mundo subterrâneo), A noite personificada". Muito sutil!

 

E finalmente aqui estão duas variantes para AKAKOR, a primeira significando"O deus da luz" e a inferior - "As flores do céu", isto é, AS ESTRELAS" . Muito mais sutil mesmo! Lembremos que, segundo a Tradição, os hieróglifos egípcios foram igualmente um presente dos "deuses celestes" àquela civilização! E como estes nomes foram parar no coração da Floresta Amazônica Brasileira?

 

E também entre os nossos indígenas existe uma milenar adoração ao deus sol, por alguma tribos conhecido como RA - da mesma forma que no Antigo Egito! Na foto acima, a representação que eles fazem do sol. O círculo central era na terra dos faraós o hieróglifo que igualmente significava RA!

 

Tudo isso jamais poderia ser mera coincidência! NUT, a Mãe Celeste, também relacionada à abóbada celeste e às estrelas, aquela que "deu nascimento aos deuses" na religião do Antigo Egito, por incrível que possa parecer também faz parte das crenças religiosas dos índios da Amazônia Brasileira! É, de fato, extremamente perturbador como os silvícolas adoram uma deusa celeste COM O MESMO NOME usado por uma extinta e milenar civilização, a qual se situou em um outro distante continente, além de tudo separado por um oceano inteiro! E ainda por cima, nas suas lendas e tradições conhecem o nome de MU (Lemúria?). Porém, ainda existem muitas coisa mais! Continuemos, portanto, nesta nossa pequena viagem por tão intrigante e espantoso assunto......

 

 

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA VER MAIS FOTOS

 

Próxima Página

Página anterior

The Dark Cave