Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

MUITO ALÉM DA SIMPLES COINCIDÊNCIA

"O pouco que vemos é devido ao pouco que somos"

(Louis Pauwels & Jacques Bergier - O Despertar dos Mágicos)

 

A enigmática esmeralda, uma das mais belas pedras da Natureza, guarda certamente na sua alma mineral os mais estranhos segredos. Assim como o cristal e o rubi, ambos dotados de poderosas propriedades e até largamente empregados pela Indústria e pela Ciência, a pedra verde ainda não foi de todo explorada. E as antigas civilizações, ao contrário da nossa, até que a conheciam muito bem. Aliás, demasiadamente bem......

 

....... Os Antigos Egípcios, por exemplo, sabiam que ela condensava os raios verdes da Natureza e até exploravam essa propriedade, notadamente na ciência da mumificação utilizando algo que chamavam de "os raios verdes negativos"! A foto nos mostra o enigmático deus-múmia Ptah, o padroeiro dessa antiga arte, trazendo nas mãos um curioso artefato - talvez um condensador, uma espécie de "pilha", ou mesmo um captador do Verde Negativo! E não se trata de mera abstração, uma vez que os cientistas franceses Chaumery e Bélizal, estudaram e fizeram várias experiências com as vibrações e as ondas geradas pelo verde da esmeralda. O resultado foi idêntico ao obtido nos tempo das antigas Dinastias Egípcias. Porém algo que produzido sem o necessário conhecimento tornou-se simultaneamente desastroso. Chaumery definhou lentamente e morreu tão ressecado quanto uma múmia egípcia! Bélizal continuou com as experiências e constatou que o Verde Negativo, emitido por uma pilha de semi-esferas e desde que perfeitamente orientado, pode curar tumores e até mesmo destruir micróbios! Em 1954, André Milou e outros cientistas também trabalharam nessas experiências, chegando a constatar que os vegetais a ele submetidos cresciam extraordinariamente. Porém, algo os deixou aterrorizados: assim como o rubi pode ser benéfico sob a forma do laser na Medicina mas também pode matar sob a forma de armas na guerra, a esmeralda e o seu Verde Negativo desde que devidamente pervertido e mal orientado pode se transformar em uma arma letal e contra a qual não haverá escapatória! Associando-o a elementos radioativos simples, até mesmo facilmente adquiridos nas farmácias, suas irradiações matam e ressecam inapelavelmente tudo aquilo que estiver pelo caminho! Milou, Bélizal, e todos os outros resolveram então silenciar para o próprio bem da humanidade. Sabiamente e em consenso, interromperam as suas pesquisas e jamais publicaram os seus trabalhos!!!

 

Todas as coisas têm a sua inteligência, a sua alma - sejam minerais, vegetais ou animais. Os minerais, notadamente, possuem uma espantosa característica no sentido de acumularem vibrações muito poderosas e ainda desconhecidas. Na foto, o famigerado e além de tudo valioso Diamante Hope, roubado de um templo hindu em 1642 por um aventureiro chamado Jean Tavernier e que carregava consigo uma vibração mortal e devastadora, causando sem exceções tragédias e infortúnios a todos aqueles que ousavam possuí-lo! O tal ladrão foi assassinado. A nova proprietária, Madame Montespan, ficou repentinamente na miséria e perdeu os favores da corte francesa. E a partir daí, TODOS aqueles que o usaram foram guilhotinados pela Revolução Francesa, inclusive Maria Antonieta. Em 1830, seu proprietário Daniel Elanson enlouqueceu e acabou seus dias em um manicômio. Simon Montharide e toda a sua família morreram assassinados quando a pedra esteve sob sua propriedade. Em 1912, a americana Evelyn Walsh McLean que perdeu dois filhos em inexplicáveis acidentes após se tornar a proprietária da pedra, viciou-se em tóxicos e morreu repentinamente. Uma outra filha, muito jovem e também chamada Evelyn, sofreu um inexplicável ataque cardíaco e morreu. Foram mais de 24 pessoas as vítimas da tal "maldição" que a pedra carregava e é possível que ela continue fazendo os seus estagos por aí. Pelo sim, pelo não, quem pois se atreveria a usá-la?

 

Todas as coisas, mesmo aquelas aparentemente inanimadas, possuem realmente a sua memória atômica - uma inteligência inerente que pode até mesmo ser manipulada e devidamente "carregada". Asim sendo, é sempre um real e verdadeiro perigo a guarda de certos objetos que inevitavelmente trazem consigo as vibrações daqueles que os possuíram..... Ou mesmo que os enfeitiçaram! As antigüidades egípcias, extraídas quase sempre dos milenares abrigos funerários, são um exemplo típico. A literatura Rosacruz (e portanto uma literatura séria e digna de total credibilidade) relata o impressionante fato ocorrido com um antigo supremo mandatário daquela Ordem que ao tocar uma estatueta do deus Osíris - o Senhor da Eternidade e protetor dos mortos (foto) - mesmo que com o seu grande preparo esotérico e iniciático (e talvez em razão disso) sofreu uma "descarga" tão violenta que chegou a ser arremessado alguns metros à distância! Portanto, uma advertência que deve ser devidamente considerada!

 

Como já dissera o grande escritor Guy Tarade, "É preciso que à Ciência se dê uma alma"! O verdadeiro sábio, o verdadeiro cientista, deve pois ter o discernimento para jamais ARROMBAR AS PORTAS PROIBIDAS, pois as conseqüências certamente serão as mais funestas e desastrosas. A Natureza jamais evolui aos saltos mas, sim, gradativamente e tudo de acordo com o seu devido tempo. Timothy Leary (foto), ex professor e cientista anteriormente muito conceituado da Universidade de Harvard esteve preso nos EUA e depois evadiu-se para outro país quando em 1963 espalhou entre os seus mais de 400 alunos cerca de 3500 doses e inclusive deu aberta publicidade ao emprego do LSD-25, ou dietilamida de ácido lisérgico, um poderoso alucinógeno em princípio usado como medicamento e depois transformado em perigoso vício. Para Leary e seu assistente Richard Alpert , o emprego dessa substância inodora e incolor, extraída da cravagem do centeio ou facilmente preparável em laboratório conforme ele mesmo ensinava, " Seria uma forma de o homem avançar psiquicamente em direção ao futuro, utilizando o fabuloso manancial elétrico contido no interior do seu crânio"! Seu adjunto, outro professor de nome Ralph Metzner afimava: "Deus existe no interior de cada um de nós; é-nos necessário traduzir a mensagem eterna em linguagem científica, que é a de nossa época"! E de forma que pode ser considerada muito mais sacrílega, Leary ainda afirmava que - " É pois normal, inevitável até, que os produtos químicos sejam usados para desenvolver as possibilidades espirituais e neurológicas do homem". E aquilo que ele chamava de "sacramento superior" virou uma espécie de culto maldito e espalhou-se desastrosamente pelo mundo fazendo as suas milhões de vítimas - principalmente entre a juventude, desgraçadamente atraída pelas "viagens psicodélicas", pelas "visões estranhas" e pelas fugazes sensações de liberdade e "felicidade" que a terrível droga proporcionava, permitindo atingir os outros tais sacrílegos "novos níveis superiores de consciência" tão propalados pelos seus pervertidos criadores.

 

Os antigos ensinavam, aliás muito adiante do nosso próprio tempo, que além da matéria original um OUTRO princípio é necessário para que se complete a natureza trina, e ao mesmo tempo una, de cada partícula. Exatamente aquilo que denominavam ALMA - ou, assim como já dissera o sábio Próculus, o "gênio tutelar" de cada planta, cada animal, cada mineral e de cada criatura humana! O verdadeiro cientista, o verdadeiro sábio, é somente aquele que jamais força uma porta proibida e unicamente trabalha em benefício da própria humanidade sem jamais corrompê-la ou sem sacrilegamente tentar que ela evolua aos saltos. Christian Samuel Hahnemann, o criador da Homeopatia, médico nascido em Meissen, Saxônia, descobriu que tudo aquilo que causava os sintomas de uma doença seria o mesmo princípio capaz de curar, desde que administrado em pequenas doses. Contrariando as pressões, os escárnios, as perseguições da ciência clássica - e notadamente os da sempre poderosa indústria de medicamentos - Hahnemann pesquisou a fundo as plantas, as ervas, as cascas e até mesmo os venenos das cobras. E utilizando-os em pequenas doses operava curas consideradas milagrosas...... Melhor ainda, sem os chamados "efeitos colaterais"! Descobriu também que o remédio tornava-se mais potente, muito mais eficaz, desde que MAIS e MAIS diluído, até em proporções infinitesimais de 1 milhão para um. Nada de espantoso, pois ficou constatado que a matéria nada mais é do que a condensação de forças cósmicas e que essas forças se tornam mais poderosas quando liberadas do seu "invólucro". Enfim, quando a ALMA, a sua Essência maravilhosa e sutil que reside no princípio ativo de tudo aquilo que existe é liberada!

 

A inteligência inerente às nossas células pertence ao mundo maravilhoso do mistério. Há, de fato, em cada uma delas uma diretriz fantástica que a ordena e portanto a comanda a se tornar uma célula do sangue, da pele, da unha e assim por diante. Contudo, quando ocorre uma disfunção qualquer, uma violação proposital do seu princípio, ou alguma outra circunstância ainda não bem determinada, ela verdadeiramente perde essa diretriz, pode-se dizer que enlouquece! E tal como se fosse uma espécie de revolta ela foge ao "controle central", ou ao "plano diretor", e se multiplica indefinidamente! É, em síntese, a temível doença denominada câncer e que desde o momento em que a nossa civilização se tornou industrializada e belicista transformou-se em um verdadeiro flagelo - ainda teoricamente sem quaisquer possibilidades concretas de cura. Porém e infelizmente, falta nesta página, Prezado Visitante, uma foto que jamais poderá ser encontrada. Em 1930 um médico naturalizado norte-americano, o Dr. George Lacowiski, descobriu que cada uma dessas células é dotada de um freqüência vibratória específica, fornecida pelo DNA (Ácido Dessoxiribonucléico), sendo que as chamadas doenças são causadas exatamente pelo desequilíbrio elétrico entre elas. Ele então inventou um dispositivo denominado "Multi Wave Oscilator" (Oscilador Multi Ondas), operando com freqüências nas faixas de 15 Hertz a 250 Megahertz, que vibrando no MESMO padrão de sintonia harmônica com a célula afetada.... Comprovadamente curou em uma porcentagem de 98 POR CENTO inúmeros casos de câncer terminal - a última fase da letal e insidiosa doença!!! Enfim, uma avançada espécie de "Homeopatia"! O Governo Americano, contudo, proibiu a utilização do seu aparelho, que aliás foi devidamente confiscado pelos órgãos ditos "especializados". Seu laboratório foi misteriosamente incendiado e todos os seus cientistas auxiliares presos, juntamente com ele. Aliás, a Dra. Ruth Draw, sua assistente mais chegada, morreu confinada em uma penitenciária. E também nunca mais se ouviu falar do Dr. George Lakowiski! Se analisarmos atentamente, torna-se perfeitamente "compreensível", pois o médico ameaçou e ousou diretamente confrontar os interesses dos poderosos grupos econômicos que chegam a cobrar por um simples frasco de umas poucas pílulas paliativas, destinadas a "aliviar" as dores dos pacientes terminais dessa doença, MILHARES de unidades de moedas de qualquer país do mundo!

 

No início de 2003, os jornais publicaram essa estranha notícia (Fonte: Jornal O DIA, Rio de Janeiro, Edição de 07/01/2003) que certamente deve causar revolta nos espíritos mais religiosos e sobretudo um "escândalo" nos espíritos fracos e naqueles menos esclarecidos. Contudo, não se trata de nenhuma novidade haja vista que Jesus Cristo era um Essênio. E os Essênios eram doutores em Medicina e praticavam um tipo secreto e superior de Medicina! Os Antigos Egípcios, por exemplo, conheciam as vacinas, os anestésicos, os antibióticos naturais e uma série de outros medicamentos que somente muitos milênios mais tarde a nossa civilização redescobriu. Não esqueçamos que a famigerada cocaína foi encontrada nos tecidos celulares de várias múmais egípcias, porém era usada com finalidades exclusivamente terapêuticas e não como um tenebroso vício. A maconha, cujo uso é sinistramente pervertido nos dias atuais transformando-se juntamente com os outros tipos de tóxicos nos abomináveis vetores da degradação e do flagelo da nossa humanidade, é verdadeiramente um medicamento - assim como o ópio que era usado como anestésico por toda a antigüidade mais evoluída. Hoje, por exemplo, até jogamos displicentemente no lixo um antibiótico qualquer quando este perde a sua validade. E você, Prezado Visitante, já parou para pensar que aquele frasco, se acaso voltasse repentinamente ao passado mais remoto nas mãos de alguém, poderia salvar uma vida, ou talvez várias, mesmo que com o seu prazo de validade vencido? Pois é! Qualquer um que soubesse utilizá-lo faria milagres! E ele, isto é, aquele que fez o "milagre", teria efetivamente vindo de uma "civilização muito mais evoluída e desconhecida" - ou dependendo do lugar e do tempo onde estivesse, poderia ser venerado como uma divindade, não é mesmo verdade?

 

E não estamos com isso desmerecendo Jesus - que para nós foi verdadeiramente O Maior de Todos os Mestres - e tampouco renegando a sua grandiosa e meritória obra. Porém, se o encaramos como um possível visitante chegado a este planeta, vindo de uma outra esfera cósmica altamente evoluída, tanto em ciência quanto em tecnologia, e com uma missão a cumprir (ou quem sabe ainda, herdeiro ou Mestre em linha direta da fabulosa Atlântida) as coisas se tornariam mais claras e começaríamos então a entender a verdadeira natureza dos inúmeros milagres por Ele produzidos! Nos tempos bíblicos as condições de higiene e saneamento eram precaríssimas, na verdade inexistentes. As doenças hoje consideradas mais banais e facilmente curáveis, até mesmo pela simples profilaxia, tornavam-se então verdadeiros flagelos. É notável o episódio em que Jesus curou um cego, segundo a Bíblia colocando-lhe "barro" nos olhos e mandando lavá-los posteriormente, ocasião em que o infeliz recuperou a visão (João, Cap. 9, Vs.6). Seria uma pomada antibiótica? Aliás, e muito curiosamente, em várias outras passagens Jesus realizou certas curas que deveriam ser mantidas em sigilo, conforme Ele mesmo recomendava àqueles que foram curados para que "que se fossem e não contassem a ninguém" - como por exemplo em Lucas, Cap 5, Vs.12/14. Não esqueçamos que - também - o misterioso Nostradamus curou sozinho uma epidemia de peste em uma cidade inteira, a qual afugentava até os médicos da época, através de uma "poção Mágica" (em outras palavras ANTIBIÓTICOS) que administrava aos doentes! E da mesma forma convém que não esqueçamos: tanto ontem quanto ainda hoje, qualquer forma avançada de tecnologia poderia eventualmente ser encarada como magia, ou quem sabe milagre!

 

E para tapar a boca sempre ferina dos céticos e dos negadores, os quais pretendem que Jesus nunca tenha existido e que os relatos da Bíblia não passariam de simples lendas, o célebre Papiro Egerton (foto), originário daqueles tempos, menciona claramente o nome CHRISTOS!

 

Segundo a Tradição, nem todos pereceram no grande cataclismo que a submergiu e assim a Atlântida teve de fato os seus sobreviventes. Houve aqueles que abandonaram o continente antes da tragédia e os outros que estavam sediados nas suas mais distantes colônias. E os intrigantes vestígios encontram-se em todas as partes! Esta é a pouco divulgada "Pedra Escrita de Nonza", encontrada na Córsega, e que além de trazer gravados estranhos símbolos contém uma escrita jamais conhecida em qualquer tempo por sobre toda a face da Terra. Atribui-se sua origem à perdida Civilização Atlante!

 

Sim, os vestígios daquele perdido continente a cada dia que passa se tornam mais evidentes e indiscutíveis! Vejam só o que foi descoberto em Bimini, região integrante do chamado Triângulo das Bermudas, Oceano Atlântico: uma enorme cabeça de pedra submersa e que em tempos muito recuados fazia parte de um grande complexo de edificações ainda por serem reveladas! Mas isso não é tudo.... Observe com atenção. O quê exatamente nos faz lembrar essa enorme estátua, cujo negativo mostramos ao lado para a sua maior compreensão?

 

Temos certeza que você acertou! Exatamente os famosos Moai da ilha de Páscoa, situada do outro lado do mundo e isolada em meio à vastidão do Oceano Pacífico! E isso não pode ser mera coincidência. É surpreendentemente idêntico! Como se explica, a não ser como sendo mais uma gritante evidência relativa a uma muito antiga e evoluída civilização que se espalhou pela face da Terra e cujas ruínas adormecem nas profundezas ainda misteriosas e inexploradas dos nossos mares?

 

Nem sempre as lendas são mesmo lendas! Muito pouco sabemos sobre os imensos tesouros arqueológicos que dormem o seu sono milenar nas águas misteriosas do mar. Na foto, você as ruínas submersas de uma civilização possivelmente muito mais antiga do que a Egípcia, descobertas pela equipe do arqueólogo francês Franck Goddio. Trata-se da enigmática e lendária Herakleyon, trazida de volta à vida com os seus templos colossais, as suas estátuas gigantescas e as suas enormes edificações que há milênios repousavam a cerca de seis quilômetros da costa do Egito! E não foi só isso: Frank e a sua equipe descobriram ainda mais duas antigas e lendárias cidades chamadas Menouthis e Cannopus!

 

E nessas cidades perdidas, imersas nas águas e também nas noites dos tempos, repousam os restos das gigantescas estátuas que, na falta de uma denominação mais apropriada ou lógica, os arqueólogos rotulam como "um misto de deuses gregos e egípcios". Mas seria isso mesmo?

 

Não conhecemos nem mesmo a própria terra em que pisamos, quanto mais o mar que ocupa os 70 por cento do nosso globo. São inúmeros os relatos de exploradores, de camponeses e até mesmo de assustados indígenas que falam sobre os avistamentos nos nossos dias dos enormes animais pré-históricos que teoricamente deveriam estar extintos há cerca de 65 milhões de anos! Nas selvas hostis e densas da Amazônia, nas florestas asiáticas e africanas já houve quem visse e até mesmo fosse atacado por pterodáctilos, além dos animais semelhantes aos brontossauros, dinossauros e até mesmo pelos temíveis velociraptors - bem como alguns outros estranhos répteis que atualmente só parecem existir nos filmes de ficção. Onde estaria, pois, a verdade acerca de tudo isso?

 

Quem sabe o exemplo mais expressivo dessa verdade esteja em Meseta Neblina, a região situada entre a Venezuela e o Brasil, em plena misteriosa Amazônia, e que na verdade trata-se da região adjacente ao nosso Pico da Neblina (3014 metros de altitude), na qual em 1984 cerca de 250 cientistas estrangeiros acharam nas proximidades dos seus picos nevoentos uma região em que o tempo praticamente parou! E foi exatamente ali que, graças a uma forte movimentação de terras ocorrida nos tempos pré-históricos, cerca de 600 (SEISCENTAS) espécies de criaturas que se consideravam extintas viveram, vivem, e se reproduzem normalmente... ATÉ OS DIAS ATUAIS! Morcegos gigantes, larvas colossais, aranhas enormes e também peixes misteriosos fazem parte de uma coleção das mais insólitas criaturas que não existe em nenhuma outra região do globo terrestre! E, da mesma forma, a inusitada flora apresenta as suas espécies botânicas muito curiosas e desconhecidas que tal como os animais vieram em linha direta dos remotíssimos tempos pré-históricos! Tudo começou quando alguns viajantes esparsos e uns poucos exploradores relataram ter visto estranhas criaturas lá por aquelas distantes bandas. Em princípio chamados de loucos ou visionários, provaram contudo que estavam dizendo a incrível verdade quando a Royal Geographical Society, de Londres, resolveu acreditar nos seus espantosos relatos e teve a primazia de efetuar essa sensacional descoberta. Os atônitos cientistas que visitaram aquele impressionante local - totalmente fora do tempo e do espaço - chegaram à conclusão que (grifos nossos) "A evolução biológica depende MAIS DE FATORES FORTUITOS - o acaso e a necessidade - do que o próprio meio" . Em outras palavras, reconheceram que outros FATORES FORTUITOS podem de fato ter ocorrido em várias regiões do nosso planeta, as quais nada mudaram desde os antigos tempos em que os grandes sauros e os temíveis répteis vagavam pela sua superfície e circulavam com desenvoltura pelos seus turbulentos mares!!!

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA VER MAIS FOTOS

Próxima Página

Página Anterior

Ominous