Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

TESTEMUNHOS BASTANTE EXPRESSIVOS

"Ao lado dos traços que nos comprazemos em saudar a marca do eterno humano, tropeçamos sem cessar com o estranho, o insólito, o inconcebível"

(Kurt Lange)

 

Estranhas ruínas situadas no Equador (onde por sinal existem os imensos e misteriosos túneis subterrâneos), obras de uma civilização misteriosa e sobretudo antiqüíssima, a qual pode-se dizer que inexplicavelmente "brincava" com enormes blocos rochosos - como aliás torna-se a "marca registrada" de todo o passado oculto das Américas. Note-se a perfeição e a simetria desses antigos alicerces. O círculo, em primeiro plano, parece um túmulo que, por sinal, ninguém ainda se deu ao trabalho de explorar.

 

Estruturas, aliás, incrivelmente semelhantes àquelas encontradas nas enigmáticas ruínas de Paquime, México, e também originárias de uma civilização desconhecida. Acredita-se que ali tenha sido uma espécie de centro comercial pré-histórico das américas, mantendo intenso intercâmbio até mesmo com outros povos advindos do oriente, ou seja, do outro lado do oceano e também do mundo!!!!

 

E você, Prezado Visitante, muito certamente já viu coisa semelhante nas nossas obras de engenharia. Só que se Trata de um tipo de duto, e por sinal espantosamente bem elaborado, e que é encontrado às dezenas nas antiqüísismas ruínas de Tiahuanaco, nos altiplanos bolivianos, obra fantástica de uma desconhecida civilização! E o mais impressionante é que essa imensa rede de dutos se estende desde as longínquas ruínas de Akapana, onde em remotos tempos existia uma grande lagoa e também deve ter servido para conduzir água desde o Lago Titicaca! Note-se a perfeição do acabamento, a simetria e o molde dessa espécie de duto, sem qualquer dúvida de fazer inveja às nossas modernas indústrias fornecedoras da construção civil!

 

E a espantosa simetria também se faz presente em Santa Cruz de La Sierra, igualmente na Bolívia, onde os restos daquilo que outrora foi uma imensa pirâmide nos mostram essas duas trilhas paralelas, profundamente escavadas na rocha bruta, e que se dirigem desde o solo até o ápice do antigo monumento! Os próprio indígenas que habitam o local, descendentes dos Aimarás, reconhecem a antigüidade de tão insólito monumento e através das suas tradições explicam esse intrigante mistério como sendo dessa trilha que os antigos "deuses" subiam aos céus através dos seus "cavalos de fogo"! Uma explicação bem ao alcance da sua reduzida cultura e do pouco entendimento, que com grande probabilidade poderia se tratar um sutil eufemismo para traduzir uma rampa de lançamento para antigas espaçonaves!

 

E o quê exatamente dizer a respeito dessa imensa escadaria, situada em Nova Delhi, Índia (por excelência a pátria dos antigos "deuses"), e que se eleva a lugar algum? Descrita pela Arqueologia clássica como uma suposta "plataforma de observação da Estrela Polar" e hoje devidamente restaurada para a alegria dos deslumbrados turistas, se parece mais com uma milenar escadaria de acesso a um imenso foguete, ou a uma espaçonave, do que qualquer outra coisa! Estranho? Sem dúvida! Porém, o quê mais além disso poderia ter sido?

 

Sim, as antigas civilizações, teoricamente desprovidas de maquinários e explosivos, manipulavam a pedra bruta com uma facilidade inexplicável. Na foto, as ruínas de uma desconhecida cultura que habitou a Turquia Ocidental, se estabelecendo, ou erigindo seus santuários, em meio a esses enormes penhascos escarpados!

 

E também podemos constatar isso nas estranhas ruínas subterrâneas deixadas por um estranho povo, denominado "Anasazi" e que há cerca de 2 mil anos habitou os EUA, ao longo do Rio San Juan, território atual do Utah. E assim como todos os demais povos misteriosos do nosso passado obscuro, não se sabe exatamente quem foram ou de onde surgiram!

 

E nesta foto relativamente recente da NASA, tomada pelo módulo Mars Global Surveyor, vemos aquilo que foi definido pelo órgão espacial como sendo "camadas manchadas, ocasionadas por depósitos rochosos sedimentares". Contudo o mais curioso é que os seus cientistas afirmaram que essas "misteriosas formações se originaram SOB A ÁGUA" e que precisamente nelas acha-se um excelente sítio para a busca de fósseis marcianos"! Não é mesmo muito sutil?

 

Essa é uma visão de Europa, a menor das luas de Júpiter, a respeito da qual os Exobiologistas acreditam que algumas das suas regiões sejam cobertas por uma extensa camada de gelo solidificado, periodicamente sofrendo derretimentos com posteriores fases de condensações (nuvens). O Professor John Orq - que foi Master da Universidade de Houston - acreditava que a oito quilômetros da sua superfície existam oceanos cujas profundades alcançariam cerca de oitenta quilômetros, e além de tudo extremamente ricos em matérias orgânicas - o que, em outras palavras, significa VIDA! Note-se, bem na parte inferior dessa foto NASA, o enorme curso de um antigo rio! Contudo, essa sua emaranhada superfície merece ser vista bem de perto....

 

Até mesmo porque a NASA SABE que, além de Marte e da Lua, certos outros corpos celestes do nosso pequeno Sistema Solar FORAM UM DIA IGUALMENTE HABITADOS e apresentam os intrigantes vestígios que sugerem a existência de velhas ruínas nas suas superfícies! Na foto, você vê detalhes do intrincado solo de Europa. Repare no domo à direita, parte superior da imagem. E principalmente nas misteriosas linhas que se entrecruzam.

 

Reparou bem? Então nesta outra foto você poderá facilmente constatar que são MURALHAS, elaboradas em blocos rochosos superpostos - dificilmente se tratando de obras da erosão! E bem à direita delas, vastas extensões de ruínas que sugerem ter sido antigas CIDADES! (FOTOS: NASA)

 

Nada demais nisso! Nesta antiga foto, somente agora revelada ao público, você vê o corpo de um dos alienígenas humanóides resgatados dos destroços de um UFO no famoso Caso Roswell - ocorrido em 1947 - devidamente acondicionado em um saco plástico especial, quando chegava a uma base militar americana. Por isso, não devemos duvidar (nem um pouco) de que existam outros mundos habitados na vastidão incomensurável do Universo, cuja real amplitude sequer podemos imaginar. Aliás, Jesus Cristo, aquele que foi O Maior de Todos os Mestres, já não dissera mesmo que "A Casa do Meu Pai Tem Muitas Moradas"?

 

E por falar nisso, o escritor Erich Von Däniken após muitas dificuldades foi o único a ter acesso a esta misteriosa tumba, que se encontra muito bem guardada e fora do alcance do público em Cachemira, Índia, no subsolo de uma mesquita chamada Rauzabal Khanyar. Nesta foto de sua autoria, vemos o bem protegido local onde as suas antigas inscrições dizem: "Aqui jaz o célebre profeta Yuz-Asaf, chamado Yusu, profeta dos filhos de Israel" ! A razão de tal segredo é que cautelosamente as autoridades locais preferem guardar o assunto sob o mais absoluto sigilo, "de modo a não ofender os sentimentos cristãos, muçulmanos e hindus" e principalmente não causar celeumas e traumas nas suas próprias História e religião, do contrário reconhecendo aquilo que muitos documentos tradicionais dizem (inclusive um deles em poder da própria Índia e com mais de 2 mil anos de existência) atestando que Jesus Cristo de fato NÃO TERIA MORRIDO NA CRUZ, vivera muito tempo depois disso, e prosseguira percorrendo o mundo, disseminando a sua doutrina. E mais tarde, já bastante idoso, voltara à Índia e ali tendo encerrados os seus dias de vida na Terra, teria sido sepultado!!! E tal hipótese toma ainda mais consistência quando no Monte Trono de Salomão, situado nas proximidades, estão gravadas as seguintes inscrições datadas do ano 54 D.C. (ou seja, 21 anos após a sua tradicional "morte"): "Neste templo pregava o profeta Yusu, ele é Jesus profeta dos filhos de Israel"!

 

Surpreendente? Sim, bastante! Porém, tem algo muito mais surpreendente ainda: um antigo livro em sânscrito, aliás disponível na Biblioteca da Cachemira, denominado Bhavisya Maha Purana, relata o encontro do soberano Raya Shalevain - NO ANO 78 D.C. - com um certo personagem bastante revelador. Ouçamos, porém, um trecho daquilo que relata aquele antiqüíssimo documento: "Durante sua regência o rei mandou que o carregassem pelos refrescantes morros de Kashemir. Foi quando descobriu, sentado na grama e vestido de linho branco, uma pessoa feliz, rodeada de vários ouvintes. Shalevain dirigiu-se ao estranho e perguntou-lhe quem era. O homem da túnica branca respondeu com sua voz tranqüila e doce: - Nasci de uma donzela. Sou pregador da religião de Mlachha (PALESTINA), dos princípios verdadeiros, ensinando a verdade contra a destruição das tradições. Quando lá apareci me chamaram de Masih (MESSIAS). Eles não gostaram dos meus ensinamentos, rejeitaram as tradições e condenaram-me. Prego a religião que se chama amor, verdade e pureza de coração. Por isso me chamam de Masih".

 

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA VER MAIS FOTOS

 

Próxima Página

Página Anterior

DOOM2 music