Home

NOS DOMÍNIOS DO REALISMO FANTÁSTICO

NAS PEGADAS DOS DEUSES E DEMÔNIOS

"Discernimos novos horizontes, novas questões, novos riscos. Vivemos um momento privilegiado da história das ciências"

(Ylia Prigogine)

 

Nesta foto um aspecto do Grand Canyon, Arizona, EUA - uma das formações geológicas mais belas e mais antigas do planeta. Aqui, os profundos abismos e as impressionantes gargantas e grutas guardam certamente um dos maiores mistérios da Arqueologia. O fato mais curioso é que todas as suas enormes montanhas têm seus nomes originários da linguagem do... Antigo Egito! E estes nomes são verdadeiramente milenares, pois passaram de geração em geração pelas tribos dos índios peles-vermelhas que ali habitaram! Sabe-se que 1909 foi descoberta em uma dessas profundas gargantas uma caverna contendo nada menos que riquíssimos sarcófagos elaborados em ouro, além de diversas múmias - bem ao estilo egípcio mas todavia pertencentes a uma desconhecida civilização do passado! Estranhos hieróglifos e belíssimos murais multicoloridos adornavam aquela antiqüíssima cripta. Consta que o Smithsonian Institute teria sido chamado ao local e imediatamente interditado a área, proibindo totalmente o acesso àquele importante sítio arqueológico. Segundo se especula, a entrada desse complexo teria sido até dinamitada de modo a impedir a sua ampla divulgação. Alguns jornais e revistas da época, contudo, revelaram tal assombrosa descoberta e ainda denunciaram a supostamente estranha atitude daquela instituição oficial. Nos dias de hoje, o Smithsonian Institute nega peremptoriamente tal achado, bem como a sua intervenção no absurdo sigilo oficial com que foi tratado. Todavia, além dos nomes tipicamente "egípcios" os índios mantêm nas suas tradições a lembrança de uma milenar emigração dos "deuses" de uma raça muito adiantada que veio do "leste" (isto é, dos lados do Atlântico), "há incontáveis luas", refugiada de um grande cataclismo que destruira as suas terras!

 

O que você vê trata-se obviamente de uma máquina voadora, só que existente há milhares de anos de idade - conforme nos mostra este espantoso desenho encontrado nas enigmáticas ruínas de Meroé. Essa estranha civilização floresceu no território em que hoje se situa o Sudão e inexplicavelmente adorava os mesmos deuses do panteão egípcio! Utilizava hieróglifos como forma de escrita, só que totalmente divergentes dos caracteres e ideogramas do Egito, e que por sinal permanecem até os dias atuais indecifrados. Naquelas exóticas ruínas, somente descobertas em 1842 por Ferdinand Lepsius, existem pirâmides, templos belíssimos e várias estátuas. Os Meroitas (se é que o nome correto era mesmo este), tal como os egípcios além de dominarem a metalurgia, também praticavam a mumificação e acondicionavam suas múmias em câmaras subterrâneas. Segundo as antigas crônicas, Meroé foi de fato tão misteriosa que os próprios egípcios desconheciam a sua existência e somente descobriram os seus "vizinhos" durante os Antigo e Médio Impérios! Como detalhe mais revelador, e de acordo com os exames procedidos em diversas múmias, essa perdida civilização era composta por seres dotados de caracteres físicos descritos como "incomuns", além de tudo fora de todos os padrões conhecidos e...... Pertencentes a uma misteriosa RAÇA BRANCA!

 

Os antigos egípcios, que somente a descobriram muitas dinastias depois da sua própria evolução cultural, referiam-se a essa misteriosa terra como Merhu. Nos modernos dicionários de hieróglifos podemos ver que até mesmo alguns egiptólogos e tradutores parecem "desconhecer" Meroé. Na penúltima legenda, vemos os hieróglifos correspondentes ao seu nome, um sutil ponto de interrogação entre os parênteses e a ainda mais sutil descrição: "Um país no Sudão; situação desconhecida". E como esses especialistas dizem que a sua situação é "desconhecida" se sabem que Meroé fica no Sudão? Portanto, e já que eles obviamente sabem que o Sudão fica bem ao sul do Egito, podemos "ajudá-los": as monumentais ruínas de Meroé não são muito difíceis de ser localizadas. Estão situadas no deserto, entre Karthoum e Atbara. Suas diversas pirâmides; os Templos do Sol - este repleto de belíssimos relevos -; o imponente Templo dos Leões - pelo fato de ter dois enormes leões postados como guardiães da sua entrada - bem como as demais construções, estão ostensivamente à vista para quem quiser vê-las!

 

Aeronaves e foguetes, tal como em Meroé, parecem ter sido artigos bastante comuns na remota antigüidade! Essas extemporâneas máquinas voadoras que transportavam os "deuses" não figuravam apenas nos registros tradicionais e nas antigas lendas. Refresquemos a nossa memória contemplando mais uma vez a foto de um espantoso mural egípcio - e por isso mesmo considerado "maldito", sendo obviamente alijado dos livros tradicionais de História e Arqueologia - situado nas ruínas de Kush, uma importante cidade no início da História Egípcia. Olhe com bastante atenção a parte central do mesmo.

 

Não há como negar as visitas dos antigos astronautas por todas as partes do nosso planeta em tempos muito recuados! Essa estatueta encontrada em um sítio arqueológico de Tcherniakovsk - Prússia Oriental, extinta URSS - e que remonta ao ano 2000 A.C. nos mostra a inegável imagem de um astronauta usando capacete, roupas especiais e até botas! Por mais imaginosos que fossem os antigos artistas, jamais poderiam ter criado uma coisa dessas sem efetivamente tê-la visto!

 

Detalhes da imponente pirâmide de Quetzalcoatl, em Teotihuacan. Os belos relevos e as esculturas também nos mostram seres e animais desconhecidos! Sua antigüidade é tanta que os próprios arqueólogos concordam que quando o conquistador espanhol Hernan Córtez passou por lá ela era já era "velhíssima". Muito embora seja oficialmente atribuída aos Aztecas, trata-se de um monumento elaborado por uma desconhecida civilização pré-colombiana!

 

Da mesma forma que Monte Albán, também no México, existem portentosas e muito bem elaboradas construções - vestígios arqueológicos atribuídos a uma cultura muito antiga que se convencionou chamar de "Zapoteca".

 

Nesta foto, os belíssimos detalhes do Palácio de Mitlá - também vestígios da desconhecida e bastante antiga raça "Zapoteca".

 

Essa estranha raça, aliás, deixou em Monte Albán algumas estelas bastante reveladoras e que estampam, além de hieróglifos desconhecidos, as imagens de seres não-identificados - assim como aquele que está retratado na foto da esquerda!

 

Seres não-identificados.... tais como aqueles que continuam até mesmo nos dias de hoje a freqüentar o nosso pequeno planeta - alguns deles impiedosos, desprovidos de boas intenções e até mesmo extremamente perigosos - tal como a famosa criatura tradicionalmente chamada de "Chupacabras"! Provando que esse fenômeno - aliás ocorrendo em escala mundial - não se trata de uma lenda, este outro exemplar - mostrado na foto da esquerda e cuja morfologia é retratada na ilustração da direita - foi capturado e morto em uma armadilha no Estado Americano do Texas, em 1997. Vários deles estavam atacando e dizimando os rebanhos, fato que levou os fazendeiros locais a espalharem as suas armadilhas pelos pastos.

 

Segundo informações provenientes desse mesmo incidente, assim seria o aspecto daquela criatura, tendo como detalhe principal a sua enorme língua (bem visível na foto anterior) que certamente - e tal como os nossos répteis - está adaptada para perfurar e sugar o sangue e também os fluidos corporais das suas presas!!!

 

O que todavia assusta no modo de agir dessas criaturas predadoras é o fato de não estarmos lidando com simples animais desconhecidos mas, sim, com perigosas CRIATURAS INTELIGENTES! Elas ainda por cima usam técnicas cirúrgicas altamente elaboradas e extremamente precisas para extração dos órgãos e também do sangue das suas infelizes vítimas! Na foto acima, também proveniente dos EUA, podemos ver o sempre constante orifício circular que é praticado nessas "cirurgias" malditas. E, por sinal, é bom que se saiba: ainda não existem na Terra instrumentos cirúrgicos que possam produzir resultados similares! Outro detalhe revelador que sempre acompanha o inusitado fenômeno é a presença de máquinas voadoras desconhecidas nas proximidades desses ataques! Alguns pesquisadores acreditam que tais seres posivelmente sejam animais extraterrestres aqui deixados propositada ou acidentalmente por alguns tipos de tripulantes de UFOs. Porém (e esta é a nossa opinião), o aspecto "acidental" dessa hipótese não procede, uma vez que esses predadores atacam em vários países do planeta e não apenas em um continente ou país isolado. E muito embora essa cruel realidade seja ocultada às massas, são de fato caçadores e se alimentam de nós e dos nossos animais!

 

Há porém o aspecto "humanóide" do problema. Enquanto os "Reptilianos" nos caçam para se alimentarem, estes outros intrusos - conhecidos como "Os Cinzas" - não deixam igualmente de ser insidiosos e extremamente perigosos pois da mesma forma nos caçam para as suas obscuras "experiências" médicas, genéticas e ainda os famigerados implantes - todos esses procedimentos invariavelmente causando mortes, ferimentos e traumas nas suas vítimas! Aqui, uma suposta foto de uma dessas criaturas, que teria sido obtida por um contatado. Não dispomos de maiores informações a respeito.....

 

..... Da mesma forma que esta outro negativo de uma película fotográfica, o qual retrataria um alienígena humanóide nas proximidades da sua nave!

 

E, extraída de um outro fotograma dessa seqüência, vemos, muito embora pouco nítido e assinalado pela seta, aquele suposto alienígena de corpo inteiro tendo os braços aparentemente erguidos! Trata-se de um registro autêntico? Quem sabe?! A experiência nos ensina que não se pode mesmo duvidar de nada neste mundo......!

 

 

 

Próxima Página

Página Anterior

Triangle of Fear (Mark Klem)